CIPM de Ivaiporã receberá escola de formação de soldados

Major Rangel Calixto explica funcionamento da escola de formação de soldados

Major Rangel Calixto explica funcionamento da escola de formação de soldados

O comandante da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar de Ivaiporã, major Rangel Calixto, confirmou nessa terça-feira, dia 5 de julho, que a estrutura da PM será utilizada para uma escola de formação de soldados. Os alunos foram aprovados no concurso público e começam a ser convocados nos próximos dias. Ainda não existe uma data confirmada para que as aulas iniciem, mas a ideia é que isso ocorra entre o final do mês de julho e início do mês de agosto.

Também não está definida a quantidade de alunos que irão se formar em Ivaiporã. Inicialmente, a escola seria para a formação de 40 soldados, mas, recentemente, houve a sinalização da Secretaria de Segurança Pública para a formação de 59 alunos. “Só vamos ter a certeza quando eles chegarem à unidade, mas a última informação que recebemos é de 59 alunos para a Companhia de Ivaiporã”, frisa o comandante da CIPM.

Ele destaca que esses candidatos, além da prova objetiva, passaram por teste físico e psicológico e pesquisa social, onde o setor de inteligência da PM foi aos imóveis dos candidatos e conversou com vizinhos e vistoriou os antigos empregos dos aprovados para certificar os antecedentes de boas condutas que eles apresentaram.

Major Rangel explicou que o curso de formação terá uma carga multidisciplinar com uma série de matérias como Direitos Humanos, Direito Penal, Direito Penal Militar, Constituição, conduta social e parte operacional, como técnicas de abordagem, tiro, defesa pessoal, condução de viatura, entre outros. “A previsão é que o curso tenha 8 meses de duração, mas acreditamos que, a partir de quatro ou cinco meses, esses alunos já possam ir para as ruas, onde serão supervisionados por oficiais ou soldados mais experientes”, avalia.

Após a formação, a tendência é que todos os formados sejam distribuídos pelos 14 municípios que compõem a área de jurisdição da CIPM. O edital prevê que os soldados fiquem na área de jurisdição da companhia, por pelo menos três anos. “A importância dessa escola é imensurável, pois vamos conseguir reforçar o policiamento em todas as cidades da região e também otimizar as equipes da Rotam e do setor de inteligência da Companhia”, frisa o major Rangel Calixto.

Patrulha Rural

Major Rangel também explicou como funcionará o trabalho da Patrulha Rural, que já começa a funcionar na região. A 6ª CIPM recebeu uma caminhonete Toyota Hilux equipada e uma equipe foi treinada para realizar o patrulhamento rural comunitário. Os policiais, inicialmente, seguirão um cronograma de visitas e mapeamento de todas as propriedades rurais da região, sabendo o que cada produtor produz e os acessos para chegar às propriedades. “Eles terão um cartão programa, com as estradas de cada região, irão visitar as propriedades e conversar com os sitiantes e, com isso, esperamos que, em breve, possamos ter toda a área rural mapeada, facilitando o trabalho quando houver a ocorrência de um crime no campo”, frisa o comandante.

Os agricultores, por meio dos sindicatos, cooperativas e associações também podem entrar em contato com a equipe da Patrulha Rural e apresentar suas demandas. “Como esse programa está sendo retomado, imaginamos que existe uma demanda reprimida, e esperamos que, em breve, possamos contar com mais uma equipe da Patrulha Rural”, salienta major Rangel Calixto