Diretor de escola estadual se pronuncia sobre episódio do bilhete

Imagem da notícia.

O diretor do Colégio Estadual Antônio Diniz Pereira de Ivaiporã, José Roberto Pereira, o conhecido Salmora, emitiu nota no início da noite da terça-feira, 31 de maio, se posicionando em relação ao episódio de um bilhete encontrado no banheiro masculino, com uma suposta ameaça de massacre. Ele esclareceu que, na manhã da segunda-feira, 30 de maio, por volta das 10h15, alunos entregaram à equipe pedagógica um bilhete com dizeres ameaçadores e com uma data estabelecida. “Tomei ciência e, imediatamente, fui buscar nas câmeras do pátio possíveis envolvidos na situação, ao mesmo tempo solicitei à equipe pedagógica que fizesse contato com a Patrulha Escolar e o Conselho Tutelar para reunião no dia seguinte, após levantamento e averiguação da equipe gestora sobre a situação”, informou o diretor.

Salmora comenta que, no intervalo entre os turnos da manhã e da tarde, a equipe da patrulha escolar esteve na escola e recebeu a informação sobre o bilhete, mas, nesse momento, ele não estava no local.

O diretor informa que, apenas no final da tarde da segunda-feira, é que foi informado que a patrulha escolar havia lavrado o boletim de ocorrência, mesmo sem ter ouvido a direção da escola. “Fiquei surpreso, mas continuei a investigação pelas câmeras da escola até as 20h00, do dia de ontem, levantando todos os meninos que frequentaram o citado banheiro, anotando os nomes e séries de cada um. Encerrei às 20h30, para iniciar as averiguações no dia seguinte”, informou.

José Roberto Pereira disse que, no dia seguinte, enquanto se dirigia à escola, foi surpreendido por uma onda de ligações e mensagem de pais desesperados pela notícia de um ataque à escola, que foi divulgado pela imprensa e redes sociais. “Passamos o dia averiguando os fatos e ouvindo alunos, professores e funcionários da escola, mas, principalmente, acalmando pais e responsáveis de que os fatos apurados não passavam de uma ‘brincadeira de péssimo gosto`. A equipe identificou alguns alunos que já vinham praticando essa brincadeira, segundo eles mesmos, sendo a princípio entre três colegas de sala de aula”, afirmou. Salmora informou que uma equipe do Núcleo Regional de Educação acompanhou todo o caso.

O diretor destaca, ainda, que entende que a dimensão que tomou o fato, em função da divulgação, mas reitera que o colégio Antônio Diniz Pereira é seguro e tem ótima qualidade, além de zelar pela seriedade dos trabalhos exercidos pelos professores, funcionários e equipes pedagógicas e gestoras. “Lamentamos profundamente o ocorrido, levamos toda situação levantada ao conhecimento das autoridades de segurança da cidade e demais autoridades educacionais e de apoio, colocamo-nos à disposição de todas as famílias da nossa escola para esclarecimentos, informações e apoio”, finaliza em nota o diretor José Roberto Pereira.