Leilão de réplicas da Catedral de Maringá pode render R$ 600 mil

Imagem da notícia.

Em concorrido jantar na noite desta terça-feira, 26, no Moinho Vermelho Buffet, foram comercializadas 100 réplicas da catedral de Maringá feitas pelo escultor David Lopes com madeira da primeira catedral de Maringá. Todo o dinheiro arrecadado vai para o projeto Núcleo Social Papa João XXIII, que comemora 50 anos e foi originariamente construído com a madeira que foi da primeira catedral e que agora é transformado em obras de arte.

Em um leilão comandado pelo leiloeiro oficial Werno Klöckner, foram colocadas no pregão as 20 primeiras réplicas – elas são numeradas na ordem em que foram feitas pelo escultor, registradas em cartório e contam com um certificado de autenticidade da madeira assinado por um perito – e a nº 1, a mais cobiçada da noite, foi arrematada por R$ 26.500 pelo empresário Ivo Dalla Costa, diretor-presidente do Frigorífico Palmali. A nº 10 alcançou R$ 19 mil e a 2 foi arrematada por R$ 18 mil.

Por enquanto ainda não está fechado o balanço do evento, mas a expectativa é de que tenha rendido cerca de R$ 600 mil. Outras 50 réplicas foram vendidas durante o jantar, fora do leilão, e até na manhã desta sexta-feira pessoas estavam telefonando para reservar peças.

Festa de aniversários

O jantar, o leilão e a venda de réplicas foi iniciativa do Rotary Clube Maringá Colombo, parceiro do Núcleo Social Papa João XXIII há décadas. Segundo o voluntário Odair Herrerias, o evento foi criado para comemorar os 50 anos da Catedral Basílica Menor Nossa Senhora das Graças, os 50 anos do Núcleo Papa João XXIII e os 75 anos de Maringá.

Herrerias diz que já se previa que o evento seria um sucesso, mas superou as expectativas. “A gente está acostumado a ver o povo de Maringá abrir o coração diante das promoções para ajudar os mais necessitados, mas as vezes ainda nos espantamos com o tamanho dessa generosidade”, diz ele, satisfeito com a venda de praticamente todas as peças e pelo alto valor alcançado no leilão.