Inicia período de atualização do rebanho no Paraná

Coordenadora da Adapar na região de Ivaiporã, Maria Andreolla

Coordenadora da Adapar na região de Ivaiporã, Maria Andreolla

A Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) alerta os produtores rurais sobre o início do prazo para a atualização dos rebanhos. Desde o dia 1 de maio, os pecuaristas são obrigados a fazer a declaração da quantidade de animais em seus rebanhos. A atualização não se restringe apenas aos bovinos e bubalinos, mas também a ovinos, caprinos, suínos, aves, peixes e abelhas, ou seja, todos os sistemas que envolvem a produção animal.

A chefe regional da Adapar de Ivaiporã, Maria Andreolla, lembra que, desde o ano de 2021, o Paraná é considerado área livre de aftosa, sem vacinação, reconhecida pela OIE (Organização Mundial da Saúde Animal) e, por isso, o produtor não precisa mais fazer a imunização dos rebanhos de bovinos. No entanto, para manter o status é importante que a agência tenha os dados de rebanhos atualizados para poder fazer o rastreio, se surgir algum caso aftosa no Paraná. “Eu sempre falo para os produtores que somos parceiros, trabalhamos com ele e estamos cuidando do patrimônio do pecuarista, que é fazer com que o Paraná continue com o status de área livre de aftosa, que foi algo que abriu portas para nós”, cita Maria Andreolla.

Ela lembra que, há cerca de um ano, foi divulgada a presença de dois casos isolados de vaca louca em Mato Grosso e no Rio de Janeiro e, mesmo sendo questões pontuais, a exportação para a China foi fechada por alguns meses e houve dificuldades de fluxo nesse período.

Locais para atualização

A preferência é que essa atualização do rebanho seja realizada de forma online, que não é algo de fácil domínio para alguns produtores, que podem pedir ajuda para algum familiar mais conectado com a tecnologia. Além disso, todos os municípios da região, à exceção de Cruzmaltina, contam com escritório local de atendimento e também tem os sindicatos que prestam serviços para os associados e público externo. “O mais importante é o produtor não deixar para última hora”, relata.