Expoingá, uma feira que acompanha a história de Maringá

Imagem da notícia.

O evento acontece de 5 a 15 de maio, no Parque Internacional de Exposições da cidade, reunindo setores diversificados da agropecuária, indústria, comércio, serviços, lazer, cultura e entretenimento

Maringá era uma jovem cidade, de apenas 25 anos, quando a primeira feira agropecuária aconteceu na cidade, em 1972, na época sob a gestão do Município. Anos mais tarde, em 1979, nascia a Sociedade Rural de Maringá, assumindo tanto a realização da feira quanto a administração do Parque de Exposições, às margens da avenida Colombo.

Fundada em 16 de agosto de 1979, a SRM teve como primeiro presidente, o agropecuarista Joaquim Romero Fontes. Também integraram aquela primeira diretoria nomes que ainda hoje fazem parte do quadro de associados, como Ari Aladino Cândido e Francisco Feio Ribeiro Filho.

Um dos fatos marcantes dessa história, está também na eleição da primeira mulher para presidir uma entidade do gênero no Brasil, a zootecnista Maria Iraclézia de Araújo. Ela dirigiu a entidade pela primeira vez de 2008 a 2010 e voltou ao cargo em 2016, permanecendo até hoje, já que foi reeleita por sucessivos mandatos.

Iraclézia é a primeira mulher a presidir a Sociedade Rural de Maringá

Iraclézia é a primeira mulher a presidir a Sociedade Rural de Maringá

Sob o comando dessa profissional, que atua em diversas frentes do agronegócio, e de uma diretoria atenta às últimas evoluções do campo, é que acontece a Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Maringá (Expoingá), este ano em sua 48ª edição.

O evento que mobiliza toda a região e fomenta o agronegócio, vai acontecer de 5 a 15 de maio, no Parque Internacional de Exposições de Maringá. A feira pretende apresentar ao público um agronegócio moderno, cooperativista, profissionalizado, que faz uso do desenvolvimento tecnológico, da biotecnologia, de pesquisas e inovações científicas para crescer e oferecer cada vez melhores resultados para o país.

Como se trata de uma feira multissetorial, reúne cerca de mil expositores de diversas partes do país, incluindo os segmentos da agropecuária, indústria, comércio, serviços, lazer, cultura e entretenimento, além de uma gastronomia diversificada, gerando cerca de 10 mil empregos diretos e indiretos. A movimentação financeira desse grande evento, que contribui com o desenvolvimento do turismo de Maringá e região e com a economia paranaense, chegou a mais de R$ 600 milhões na última edição, em 2019.

Nos anos de 2020 e 2021 a feira foi adiada devido à covid-19. Mas este ano, com a pandemia já controlada e todos os setores da economia voltando a operar com força e dinamismo, os organizadores acreditam em bons resultados.

Conforme Maria Iraclézia, “é um momento histórico novamente para a Expoingá, uma vez que houve grandes mudanças no modo de operacionalizar o trabalho nesses dois últimos anos, e nós estamos preparados para fazer uma feira vigorosa, mas todos os cuidados e protocolos exigidos pelos órgãos sanitários durante o seu período de realização”.

Imagem da notícia.