“...meu pai, em 1950, teve a primeira padaria da Vila Operária e a segunda instalada no centro de Maringá...”

Imagem da notícia.

A professora Maria Inês Teixeira, filha de Tadeu Teixeira e Irene Brigatto Teixeira, conta como a família chegou em Maringá, em 1952, vinda da cidade de Catanduva - SP. Nascida no município de Oriente (SP), próximo do município de Marília, em 1948, Maria Inês conta que o seu pai veio para Maringá motivado por um lugar novo com a esperança de crescer junto com a cidade.

Casada com Nelson Barbosa, Maria Inês, tem dois filhos (Marco Tadeu e Nelson Barbosa Júnior) e, atualmente, trabalha na Imobiliária Ingaville, empresa de propriedade da família.

Paraná Centro - O que o seu pai fazia, quando chegou em Maringá?

Maria Inês - Ele era representante de produtos farmacêuticos e, por volta de 1948 e 1950, já fazia a região de Maringá.

Paraná Centro - A senhora foi professora e chefe do NRE (Núcleo Regional de Educação), de Maringá?

Maria Inês - Fui professora, comecei em 1967, trabalhei desde o ensino fundamental até o ensino superior. Também fui chefe do Núcleo Regional de Educação de Maringá por duas vezes, de 2011 a 2019.

Paraná Centro - Em que escola começou a lecionar em Maringá?

Maria Inês - Minha trajetória na educação de Maringá é extensa. Comecei a dar aulas em uma escola rural, em 1967.

Paraná Centro - Fale da experiência com o trabalho social?

Maria Inês - O Serviço de Obras Sociais iniciou no governo do Dr. Adriano Valente, em 1968, quando a esposa dele, dona Purificação Valente, assumiu a frente desse serviço e foi pesquisar entre os professores da rede municipal alguém que tivesse características para trabalhar como assistente social, porque não existia por formação acadêmica, naquela época. Aí eu fui escolhida para trabalhar como assistente social, prestando serviços junto com a dona Purificação, que era a presidente.

Paraná Centro - Esperava que a Maringá do passado, que a senhora conheceu com florestas, poeira e barro, fosse essa Maringá que é hoje?

Maria Inês - Em parte superou minhas expectativas, mas eu acreditava, porque meu pai dizia: “...minha filha, você vai ver essa cidade daqui 20 ou 30 anos, ela vai explodir em desenvolvimento!”.

Paraná Centro - Seu pai teve duas das primeiras padarias da cidade. Em que ano foi e onde se localizavam?

Maria Inês - Sim, meu pai, em 1950, teve a primeira padaria da Vila Operária e a segunda instalada no centro de Maringá, na Avenida Brasil, número 2316.

Paraná Centro – Quem eram os integrantes da família Teixeira, que chegou em Maringá em 1950?

Maria Inês - Nós formamos uma família de 4 filhos: Walter, Eugenio, Wilson Antonio e eu, Maria Inês Teixeira; mais meus pais Tadeu Teixeira e Irene Brigatto Teixeira.

Paraná Centro - Qual sua mensagem para a cidade, que completa 75 anos?

Maria Inês - Que Maringá nunca perca o viés da esperança, de possibilidade para todos, porque os pioneiros tinham em mente uma cidade planejada pela Companhia Melhoramentos e tinham como princípio conservar uma cidade destaque nas áreas de educação e social. Lembro quando Maringá foi criada e planejada para ter 200 mil habitantes e, hoje, tem quase 450 mil. É uma cidade que continuou com participação e envolvimento de toda a comunidade, percebe-se isso nos mais antigos que se envolveram para conservar algumas coisas em Maringá. Tenho orgulho de ser pé vermelho, amassei muito barro, mas isso só me trouxe alegrias, porque ajudamos de alguma forma a construir essa história.

Minha trajetória na educação de Maringá é extensa. Comecei a dar aulas em uma escola rural, em 1967.”
Maria Inês Barbosa