Parque do Japão tem o maior jardim típico do mundo, fora do país de origem

Imagem da notícia.

Inaugurado em 2014, depois de muito empenho da comunidade, o Parque do Japão, de Maringá, está instalado em uma Área de Preservação Permanente (APP) de 100 mil metros quadrados, com nascentes e um córrego que foi recuperado, o local foi viabilizado com recursos dos governos federal, estadual, municipal e da iniciativa privada, para se tornar um complexo cultural, gastronômico, esportivo e turístico.

Diversas referências culturais japonesas compõem o monumento em homenagem à imigração japonesa, composto por bonsais, carpas, jardins temáticos e Casa de Chá. Mas um dos maiores destaques é o jardim japonês, o maior fora do Japão, com cerca de 50 mil metros quadrados.

Um ginásio de esportes, centro de eventos, restaurante, lagos, centro de oficinas e artes, entre outras atrações enriquecem o ponto turístico.

O sonho de criar o Parque do Japão teve início em 2005. Ao tomar conhecimento da ideia, o prefeito de Kakogawa, no Japão, Shoichi Tarumoto, colocou a equipe dele à disposição para elaborar o projeto do parque, garantindo no papel a fidelidade das características culturais, paisagísticas e arquitetônicas. O acordo de irmandade, entre as cidades Maringá-Brasil e Kakogawa-Japão, assinado em 2 de julho de 1973, com a oportunidade de possibilitar a troca de informações sócio-culturais e econômicas para o desenvolvimento das duas cidades, oportunizou a criação do Parque do Japão.

Ao mesmo tempo em que o projeto arquitetônico era elaborado, criava-se em Maringá a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) de nome Parque do Japão – Memorial Imin 100, com o objetivo de viabilizar recursos e tirar o empreendimento do papel. Em 2006, a Prefeitura de Maringá e a Oscip “Parque do Japão – Memorial IMIN 100” lançaram a pedra fundamental para a construção do local.

Para garantir a aplicação do projeto do Jardim Japonês, a Jica enviou um jardineiro japonês, Sr. Hiroshi Kawashimo para iniciar os trabalhos e ensinar os brasileiros a trabalhar de acordo com as técnicas da cultura nipônica. Essa contribuição foi fundamental para assegurar a manutenção da identidade original do Jardim Japonês, bem como das construções.

Em 2007, cerca de 150 moradores, do Jardim Industrial e do Parque Itaipu, compareceram à audiência pública em que representantes da Prefeitura de Maringá e da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público “Memorial Imin 100” apresentaram à comunidade as obras previstas no projeto Parque do Japão. Realizado na Escola Municipal Oscar Pereira dos Santos, no Jardim Industrial, o encontro foi aberto à toda a população maringaense.

Auxiliados por materiais gráficos, audiovisuais e uma maquete com as construções previstas, técnicos da Prefeitura de Maringá, liderados pelo coordenador de Políticas Urbanas e Meio Ambiente da Prefeitura de Maringá, Guatassara Boeira, fizeram uma explanação de detalhes e benefícios que a obra traria ao município.

No dia 22 de Junho de 2008, já com vários equipamentos construídos, o Parque do Japão recebeu o príncipe herdeiro Naruhito para a inauguração do Monumento da Imigração Japonesa. Posteriormente, os esforços para viabilizar o Parque continuaram. Além de doações da comunidade, houve grande apoio do Ministério do Turismo e Ministério dos Esportes e Paraná Cidade.

O Parque do Japão se tornou uma das principais atrações da programação de Natal de Maringá e um dos espaços mais visitados por maringaenses e turistas.

Inaugurado em 2014, depois de muito empenho da comunidade, o Parque do Japão, de Maringá, está instalado em uma Área de Preservação Permanente (APP) de 100 mil metros quadrados, com nascentes e um córrego que foi recuperado, o local foi viabilizado com recursos dos governos federal, estadual, municipal e da iniciativa privada, para se tornar um complexo cultural, gastronômico, esportivo e turístico.

Diversas referências culturais japonesas compõem o monumento em homenagem à imigração japonesa, composto por bonsais, carpas, jardins temáticos e Casa de Chá. Mas um dos maiores destaques é o jardim japonês, o maior fora do Japão, com cerca de 50 mil metros quadrados.

Um ginásio de esportes, centro de eventos, restaurante, lagos, centro de oficinas e artes, entre outras atrações enriquecem o ponto turístico.

O sonho de criar o Parque do Japão teve início em 2005. Ao tomar conhecimento da ideia, o prefeito de Kakogawa, no Japão, Shoichi Tarumoto, colocou a equipe dele à disposição para elaborar o projeto do parque, garantindo no papel a fidelidade das características culturais, paisagísticas e arquitetônicas. O acordo de irmandade, entre as cidades Maringá-Brasil e Kakogawa-Japão, assinado em 2 de julho de 1973, com a oportunidade de possibilitar a troca de informações sócio-culturais e econômicas para o desenvolvimento das duas cidades, oportunizou a criação do Parque do Japão.

Ao mesmo tempo em que o projeto arquitetônico era elaborado, criava-se em Maringá a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) de nome Parque do Japão – Memorial Imin 100, com o objetivo de viabilizar recursos e tirar o empreendimento do papel. Em 2006, a Prefeitura de Maringá e a Oscip “Parque do Japão – Memorial IMIN 100” lançaram a pedra fundamental para a construção do local.

Para garantir a aplicação do projeto do Jardim Japonês, a Jica enviou um jardineiro japonês, Sr. Hiroshi Kawashimo para iniciar os trabalhos e ensinar os brasileiros a trabalhar de acordo com as técnicas da cultura nipônica. Essa contribuição foi fundamental para assegurar a manutenção da identidade original do Jardim Japonês, bem como das construções.

Em 2007, cerca de 150 moradores, do Jardim Industrial e do Parque Itaipu, compareceram à audiência pública em que representantes da Prefeitura de Maringá e da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público “Memorial Imin 100” apresentaram à comunidade as obras previstas no projeto Parque do Japão. Realizado na Escola Municipal Oscar Pereira dos Santos, no Jardim Industrial, o encontro foi aberto à toda a população maringaense.

Auxiliados por materiais gráficos, audiovisuais e uma maquete com as construções previstas, técnicos da Prefeitura de Maringá, liderados pelo coordenador de Políticas Urbanas e Meio Ambiente da Prefeitura de Maringá, Guatassara Boeira, fizeram uma explanação de detalhes e benefícios que a obra traria ao município.

No dia 22 de Junho de 2008, já com vários equipamentos construídos, o Parque do Japão recebeu o príncipe herdeiro Naruhito para a inauguração do Monumento da Imigração Japonesa. Posteriormente, os esforços para viabilizar o Parque continuaram. Além de doações da comunidade, houve grande apoio do Ministério do Turismo e Ministério dos Esportes e Paraná Cidade.

O Parque do Japão se tornou uma das principais atrações da programação de Natal de Maringá e um dos espaços mais visitados por maringaenses e turistas.

Fonte: GMC Online

Texto Adaptado