Conscientização ao Dia Mundial do Transtorno Espectro Autista (TEA)

Cibely Florchask - Neuropsicopedagoga Especialista em Transtorno Espectro Autista e Análise do Comportamento Aplicada Aba

Cibely Florchask - Neuropsicopedagoga Especialista em Transtorno Espectro Autista e Análise do Comportamento Aplicada Aba

No sábado, 2 de abril, foi comemorado o Dia Mundial da Conscientização do Autismo e para deixar registrado a importância deste dia, o Paraná Centro entrevistou as profissionais que atuam na Clínica Crescer, na cidade de Ivaiporã, que prestam atendimento aos autistas. As profissionais Kelly Gilinski, psicóloga especialista em Psicologia Infantil, com aprimoramento em ABA; Emylyn Barbist, fonoaudióloga especialista em TEA e aprimoramento em ABA; e Cibely Florchask, neuropsicopedagoga especialista em TEA e Análise do Comportamento Aplicada ABA, ressaltaram a importância da intervenção precoce e o conhecimento de demais informações importantes sobre o Espectro.

Emylyn Barbist - Fonoaudióloga, Especialista em Transtorno Espectro Autista

Emylyn Barbist - Fonoaudióloga, Especialista em Transtorno Espectro Autista

Emylyn inicia a conversa esclarecendo um pouco sobre o Transtorno Espectro Autista. A fonoaudióloga afirma ser um transtorno neurológico, que tem como causa questões genéticas e ambientais que geram comprometimento na interação social, comportamentos e interesses restritos, dificuldades na reciprocidade sócio-emocional e em comportamentos comunicativos. Podendo haver sintomas como atraso na fala, falta de contato visual, não apontar, não seguimento de comando, não atender ao controle instrucional.

Kelly Gilinski - Psicóloga Especialista em Psicologia Infantil

Kelly Gilinski - Psicóloga Especialista em Psicologia Infantil

Kelly salienta a importância de conscientizar as pessoas a respeito do diagnóstico precoce, pois possibilita o tratamento adequado para o tipo de transtorno e nível de funcionalidade. Quanto antes iniciar a intervenção, melhor será o desenvolvimento e qualidade de vida, evitando acúmulo de atrasos e reduzindo os cuidados ao longo da vida, isso porque nas fases iniciais existe uma neuroplasticidade maior, ou seja, maior possibilidade de aprendizagem.

E quando falamos de prevalência, Cibely acredita que os casos vêm aumentando com o passar dos tempos pela intensificação de estudos e desenvolvimento cientifico na área e o resultado tem sido diagnósticos adequados. Ela ressalta que a Sociedade Brasileira de Pediatria confirma essa informação.

As profissionais destacam que o autismo é uma condição permanente que acompanha a pessoa por todas as etapas da vida, não existindo remédio para o transtorno e uso medicamentoso para o tratamento, sendo utilizado apenas em condições associadas como hiperatividade, agressividade e falta de atenção. Para se obter um diagnóstico, é necessário consultar um médico neuropediatra ou psiquiatra infantil e, para o mesmo, não existe exame laboratorial ou de imagem que possa comprovar a presença do transtorno, e é realizado por meio de avaliação com as crianças e entrevista com os pais, de forma clínica. Emylyn lembra que para o tratamento do TEA e desenvolvimento infantil é importante uma equipe multidisciplinar, composta por fonoaudióloga, terapeuta ocupacional, psicopedagoga, psicóloga, entre outros, para promover um atendimento individual de qualidade para cada caso. E é isso que os profissionais da Clínica Crescer buscam oferecer, um atendimento de qualidade e multidisciplinar, com profissionais especialistas.

Avenida Tancredo Neves 1905 - 43 99975-2037