Jardim Alegre e Faxinal têm maiores altas do PIB na região em 2019

No final de 2021, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou os dados relativos ao PIB Municípios (Produto Interno Bruto dos municípios), relativo ao ano de 2019, último período de dados disponíveis para a pesquisa. Os dados mostram o que cada município produziu em termos de riqueza em todos os setores da economia, incluindo a arrecadação e repasses de recursos federais e estaduais para os municípios.

Na comparação com o ano de 2018, o PIB municipal da região central teve uma retração de -1,38% em 2019. Os 34 municípios da região central acumularam PIB de 8,071 bilhões contra 8,184 bilhões em 2018. A redução no PIB foi puxada especialmente pelo setor da agricultura, que teve uma redução em relação ao ano anterior de 10,58%.

Entre os municípios da região, os melhores desempenhos percentuais foram das cidades de Jardim Alegre, que teve o PIB aumentado em 7,34%, passando de 252,4 milhões para R$ 271 milhões. Iretama ficou na segunda posição, com crescimento de 6,22% passando de 257,1 milhões para 273,1 milhões. Em terceiro lugar ficou Faxinal, com crescimento de 6,08%, saindo de R$ 425,3 milhões para 451,2 milhões.

Os maiores PIB´s nominais da região central continuam sendo Pitanga, que caiu 2,93%, impactado especialmente pela conta Agricultura; Pitanga que tinha um PIB de R$ 893,3 milhões, caiu para R$ 867,2 milhões. Ivaiporã vem na segunda colocação, com um crescimento de 1,41% no período, saltando de R$ 820,5 milhões. Na sequência vem Reserva, que também teve uma redução no seu PIB, na ordem de 2,22%, caindo de R$ 617 milhões para R$ 603,3 milhões.

Quando se olha os números pelo setor da economia, percebe-se o quanto a agricultura teve uma queda no ano de 2019. Em toda a região, a redução foi de -10,58%. Os piores resultados foram registrados em São João do Ivaí, com redução de 26,62%, saindo de R$ 74,2 milhões para R$ 54,4 milhões; Ariranha do Ivaí, que caiu mais de 20,8%; e Roncador, com queda de 20,69%. Mesmo com a queda considerável no setor da agricultura, cinco municípios da região ainda tiveram desempenhos positivos. Cruzmaltina apresentou crescimento no setor, de 8,73%; Jardim Alegre teve acréscimo de 4,33% e Rosário do Ivaí de 3,93%.

O setor da indústria teve um crescimento na região de 4,61%. Apesar disso, a participação do setor no volume da economia regional ainda é muito pequena. Para se ter uma ideia, todos os municípios da região central têm aproximadamente R$ 600 milhões provenientes da indústria. Isso representa apenas 7,43% de toda a riqueza produzida na região. Com isso, os municípios tiveram crescimentos expressivos nesse setor da economia. Cândido de Abreu teve um aumento na participação da indústria na riqueza municipal de 69,3%, passando de R$ 11,3 milhões para R$ 22,2 milhões. Rosário do Ivaí e Nova Tebas vieram na sequência, com crescimento respectivo de 61,2% e 39,48%.

Já o principal setor da economia da região central é o comércio e a prestação de serviços, que teve um crescimento de apenas 1,83%, passando de R$ 3,137 milhões para R$ 3,194 milhões.

O município que teve o maior crescimento nesse setor foi Iretama, com aumento de 13,95%; Mauá da Serra ficou em segundo lugar, com aumento de 8,19%; e Faxinal com crescimento de 8,05%.

Imagem da notícia.