Secretário de Agricultura de Faxinal avalia perdas da lavoura

Lavouras de soja devem ter prejuízos menores em Faxinal

Lavouras de soja devem ter prejuízos menores em Faxinal

O secretário municipal de Agricultura de Faxinal, Reginaldo Pavese, fez uma avaliação sobre a situação das lavouras de verão no município. Ele destaca que, apesar da forte estiagem que tem atingido praticamente todo o Paraná, no município de Faxinal, na média, as perdas têm sido menores do que em outras regiões. Ele acredita que a produção de soja deve ser a mesma que registrada no ano passado, com 135 sacas/alqueire. Isso representa uma perda do potencial produtivo entre 20% e 25%. No entanto, em algumas áreas, especialmente próximas à divisa com Grandes Rios, Cruzmaltina e Borrazópolis, onde as chuvas foram mais escassas, as lavouras estão sofrendo mais com a estiagem e os prejuízos devem ser maiores.

Nas lavouras de milho, a estimativa de perda é de 30% e grande parte desse prejuízo já está consolidada. “Faxinal ficou uma ilha dentro da região, com municípios que sofreram com problemas climáticos, desde o começo do ano. Pelo menos uma vez na semana temos registrado uma chuva importante, na maior parte do município”, frisa o secretário da Agricultura.

Lavouras de soja devem ter prejuízos menores em Faxinal

Lavouras de soja devem ter prejuízos menores em Faxinal

Pavese explica que algumas características do município foram importantes para que os prejuízos fossem menores. Por estar localizada em uma região mais alta, em relação à boa parte do Vale do Ivaí, as lavouras de soja têm um ciclo mais longo, já que ocupam áreas que apresentam mais umidades. O plantio também acontece mais tarde do que outras regiões e, por isso, o ciclo é mais tardio. Ele destaca, no entanto, que a grande maioria das lavouras está em uma fase crítica, que é o enchimento de grãos e, por isso, um evento climático adverso pode fazer a perda estimada ser maior. “Esperamos boas chuvas para os próximos dez dias e acredito que isso deve consolidar a produção em Faxinal, que economicamente será muito importante para o município e para o produtor. Com esse cenário adverso, o mais importante é que produtor seja um administrador e coloque as contas na ponta do lápis, para saber lidar com essa situação”, frisa.