Proximidade do início das aulas leva pais às lojas de material escolar

Movimento nas lojas especializadas é intenso nos últimos dias

Movimento nas lojas especializadas é intenso nos últimos dias

O movimento tem sido cada vez maior nas lojas especializadas na venda de material escolar de Ivaiporã. Com o início das aulas na rede pública e particular previsto para o início do mês de fevereiro, os pais já iniciaram a compra dos itens das listas de material divulgadas pelas escolas. Como no ano passado as aulas não voltaram de forma presencial no início do ano, muitos pais estão voltando à rotina de compra de material em janeiro, que ocorria antes do início da pandemia.

Sidnei Ceron de Oliveira, morador de Pitanga, esteve em Ivaiporã na manhã do sábado, 22 de janeiro, para comprar materiais. Ele comentou que antes de iniciar as compras fez cotação de preços em várias lojas. “Hoje, não dá para chegar na primeira loja e comprar, mas percebi que algumas lojas aqui de Ivaiporã estão com uma qualidade melhor e com bons preços e já comprei alguns itens”, disse.

Ele destaca que, nesse início de ano, além do material escolar tem outras despesas como IPVA, IPTU e as matrículas escolares e, por isso, é fundamental fazer pesquisa de preço. “Eu percebi que teve um aumento em relação ao ano passado, maior que a inflação, acredito que alguns itens passaram de 40% de aumento”, salienta Sidnei Oliveira.

Uma das estratégias usadas pelo consumidor tem sido não comprar toda a lista pedida pela escola. “Vamos comprar uma parte do material, que dá para três ou quatro meses e, conforme for acabando, vamos repondo, pois agora no início do ano os itens estão mais caros e, talvez para o meio do ano, os preços possam cair um pouco, e também não dá para comprar tudo de uma vez”, salienta.

Alexsandro Honorato, que é morador na Vila João XXIII em Ivaiporã, salienta que a estratégia para tentar economizar é comprar os materiais em duas vezes. Ele destaca que o filho vai para o sexto ano do Ensino Fundamental e os custos serão um pouco maior. “Não tenho muita ideia sobre o aumento, mas vamos pesquisar e olhar em vários lugares, além de comprar em duas etapas”, salienta.

O empresário Elias Belarmino da Silva, proprietário da Livraria Studantil, disse que o movimento nesse início de ano está muito bom, surpreendendo as expectativas. “Por conta desse aumento de casos, achamos que as pessoas iriam esperar mais um pouco, mas parece que a população acredita que não haverá suspensão do início das aulas e o movimento está muito bom”, comenta.

Ele destaca que houve aumento nos preços dos materiais escolares em relação ao ano passado. No entanto, para não repassar todo o impacto do aumento aos clientes, o empresário fez uma negociação e compra direta com as fábricas e reduziu a margem de lucro para que o consumidor não sentisse toda a alta. “A expectativa é bem positiva para esse ano, principalmente, com essa possibilidade de volta às aulas presenciais nos próximos dias”, salienta.

A funcionária da Cissa Papelaria, Eleizamara Santos Ferreira, comenta que o movimento de clientes procurando material escolar está muito bom e, desde o início do ano, estão ocorrendo vendas de material escolar. Ela destaca que, no início do mês, eram os pais das escolas participares e, a partir do dia 20 de janeiro, começou a procura pelos pais da rede pública de ensino e, com a certeza do retorno presencial, a procura pelo material escolar está bem maior que no ano passado. “Os pais estão confiantes que a aula vai voltar sem maiores transtornos e acredito que nem as crianças estão suportando mais ficar em casa”, salienta.

Ela destaca que houve um aumento expressivo por parte da indústria, mas a loja fez a compra com antecedência e, com isso, conseguiu negociar preços melhores e não sentiu tanto o impacto da alta. “Conseguimos fugir desses aumentos radicais e, com isso, nosso cliente não vai sentir tanto”, frisa.

Eleizamara Ferreira comenta que os consumidores estão procurando preço e qualidade, além da facilidade de parcelamento. “Os itens mais procurados são canetas diferentes, cadernos com capas bonitas ou com motivos de personagens e de jogos de videogame”, salienta.

Empresário Elias Belarmino está satisfeito com o movimento

Sidnei Oliveira tem feito pesquisa de preços

Eleizamara Ferreira mostra um dos cadernos mais procurados