Unicentro abre inscrições para o Vestibular 2022

Imagem da notícia.

Com vagas para a unidade avançada de Pitanga, a Unicentro, abriu nesta segunda-feira, 3 de janeiro, as inscrições para o Vestibular de Verão 2022. São ofertadas, ao todo, 1.254 vagas em 40 cursos lotados nos três campus universitários (Santa Cruz e Cedeteg, em Guarapuava, e o de Irati) e, ainda, nas unidades avançadas de Chopinzinho, Coronel Vivida, Pitanga e Prudentópolis. As inscrições devem ser feitas pelo site do Vestibular até o dia 30 de janeiro e o valor da taxa de inscrição é de R$ 150,00.

O candidato deve escolher sua opção de curso e também a cidade onde quer fazer a prova, não havendo a necessidade de ser o local de oferta do curso. Além disso, é preciso que o candidato escolha também uma opção de língua estrangeira moderna, entre inglês e espanhol. Vale lembrar que, a partir desse processo seletivo, as provas passam a ser concentradas numa única data, com ampliação do tempo de permanência dos candidatos em sala.

Todos os candidatos inscritos, independente do curso a que concorrerem a uma vaga, farão a Redação, e responderão as 10 questões de Língua Portuguesa e Literatura, e as cinco perguntas de Língua Estrangeira. Já as demais matérias que integrarão o processo seletivo – Arte, Biologia, Filosofia, Geografia, História, Matemática, Química e Sociologia – são definidas a partir do grupo a que pertence o curso que em o estudante concorre a uma vaga. Cada grupo é composto por cinco disciplinas e cada uma delas conta com nove questões objetivas.

Outra mudança para o Vestibular 2022 diz respeito a lista de obras recomendadas para a prova de Literatura. Nos processos seletivos de 2022 e 2023, as obras literárias que serão exploradas são: "Inocência", de Visconde de Taunay; "A Hora da Estrela", de Clarice Lispector; "Seminário dos Ratos", de Lygia Fagundes Telles; "Sagarana", de Guimarães Rosa; "Comédias para se Ler na Escola", de Luís Fernando Veríssimo; "Dois em Um", de Alice Ruiz; "Rosa que Está", de Luci Colin; "Torto Arado", de Itamar Vieira Júnior; "Sagrada Esperança", de Agostinho Neto; e "O Auto da Compadecida", de Ariano Suassuna.