Coopercandi terá novos investimentos

Imagem da notícia.

A Coopercandi (Cooperativa de Produtores Rurais de Cândido de Abreu) vai receber, nas próximas semanas, novos equipamentos para fortalecer a produção da cooperativa. Por meio do programa Coopera, a Coopercandi conseguiu R$ 460 mil para a compra de uma máquina para melhorar o beneficiamento do feijão, classificando o produto com mais pureza. O projeto aprovado pelo Governo do Estado, via Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento), também possibilitará a compra de um caminhão e uma máquina para o beneficiamento da mandioca. A cooperativa está na expectativa que o governo faça o depósito dos recursos até o final do ano, para fazer o pagamento aos fornecedores e receber os equipamentos.

Com eles, a cooperativa ficará mais fortalecida, já que atualmente conta com duas câmaras frias, um caminhão e duas picapes Strada para transporte, uma máquina de pré-limpeza, uma empacotadora de feijão e uma balança de 45 toneladas. “Esses equipamentos vêm de encontro às nossas expectativas e é mais um sonho realizado, que vai possibilitar ao produtor rural entregar um produto com mais qualidade”, comenta o presidente José Cláudio Pereira.

Perto de completar 10 anos de existência, a Coopercandi está se fortalecendo para conseguir ampliar mercados. Para isso, junto com outras cinco cooperativas está formando uma central de negócios, na cidade de Telêmaco Borba, onde haverá um ponto de comercialização e uma central de distribuição. “Essa união vai possibilitar ganho de volume e, assim, alcançar mercados que hoje ainda não entramos”, frisa. Atualmente, a cooperativa conta com produtores de 12 municípios e comercializa em 25 cidades, com a participação em chamadas públicas, e em supermercados de Ivaiporã, Manoel Ribas, Pitanga e Guarapuava. “Com relação à venda no varejo, precisamos dar um passo atrás no processo de expansão, especialmente pela dificuldade de manter fluxo de produtos, mas já temos a marca própria de feijão e mandioca embalada e estamos iniciando a produção de pepino em conserva”, frisa o presidente.

Ele destaca que a cooperativa está aberta a pequenos produtores que tenham interesse em produzir. “A demanda é grande e precisamos de agricultores com vontade de produzir, ter uma produção organizada dentro do que buscamos para a cooperativa e todos que têm o mesmo objetivo são bem-vindos”, salienta.

Maracujá

O carro chefe da produção da Coopercandi é o maracujá, que foi a primeira fruta que deu início ao processo de produção. No ano de 2021, cerca de 80 cooperados cultivaram aproximadamente 70 mil pés da fruta, que possibilitou uma produção de 200 toneladas. A ideia é que, na próxima safra, a produção chegue a 400 toneladas, que será absorvida na parceria com outra cooperativa parceria para a industrialização da polpa e venda direta aos mercados da fruta de mesa. “Hoje, os principais produtos da Coopercandi são maracujá, feijão e mandioca e temos parcerias com o IAPAR de Londrina e o IDR de Cândido de Abreu, que mantém um campo de pesquisa sobre o feijão, e também o IAPAR de Paranavaí sobre o desenvolvimento de ramas de mandioca”, pontua o presidente José Cláudio Pereira.