Pioneiro completa 100 anos de vida no dia 5 de dezembro

Antônio Belo e Delminda Castelari Belo

Antônio Belo e Delminda Castelari Belo

No próximo domingo, dia 5 de dezembro, a família do pioneiro Antônio Belo estará muito feliz, já que o patriarca irá completar 100 anos de vida. No entanto, em função ainda das restrições com a pandemia, as comemorações ficarão restritas aos familiares que residem em Ivaiporã.

O agricultor é nascido no município de Itaperuna (RJ) em 1921, mas aos três anos mudou-se para Santa Luzia do Carangola, hoje apenas Carangola (MG), onde ficou até 1944. Aos 23 anos ele se mudou para o Paraná e se instalou na cidade de Cornélio Procópio, onde conheceu a esposa Delminda Castelari Belo, 93 anos, com quem se casou em 1948.

Aos 73 anos de casados, eles têm sete filhos José Aparecido Belo, Maria Aparecida Belo Salido, Áurea Celina Belo, Vera Lúcia Belo Ribeiro, Sonia Maria Belo Rios, Paulo Cezar Belo, Antônio Sérgio Belo, sendo os dois caçulas nascidos em Ivaiporã. A família ainda é composta por 25 netos, 34 bisnetos e 6 trinetos.

Imagem da notícia.

Em 1958, acompanhado do corretor de imóveis Pascoal, que trabalhava para a Companhia Ubá na região de Cornélio Procópio, ele conheceu o município de Ivaiporã e, no ano seguinte, comprou cinco alqueires da Companhia, na região do Formoso, próximo ao distrito de Santa Bárbara, onde tem o sítio até hoje. Antônio Belo incorporou mais cinco alqueires à área, mas em 1978, após o êxodo rural por causa da geada negra que dizimou os cafezais, ele comprou uma chácara na Avenida Maranhão, onde reside até hoje.

O filho mais velho José Aparecido comenta que a família veio em cima de um caminhão e a primeira providência do pai foi começar a derrubar o mato para abrir o local de plantio. “Ele saiu de Minas Gerais com a intenção de procurar um local novo para poder produzir e, quando veio para Ivaiporã, gostou do lugar e fechou negócio”, comenta.

Filhos posam com os pais em recente comemoração familiar

Filhos posam com os pais em recente comemoração familiar

A filha Maria Belo Salido comenta que, quando os pais chegaram em Ivaiporã, ficaram um período na casa de conhecido, até que o pai conseguiu abrir uma picada na propriedade e construir um pequeno barraco, com as madeiras derrubadas no próprio sítio, para que eles pudessem começar a morar na propriedade.

“Para nós é uma alegria ver que meu pai chegou até essa idade; estamos felizes com essa data e essa comemoração”, cita o filho Paulo César Belo.