Exposição fotográfica celebra aniversário de 60 anos de Ivaiporã

Avenida Brasil - Ivaiporã 1954

Avenida Brasil - Ivaiporã 1954

Nos dias 19, 20 e 21 de novembro, os ivaiporãenses poderão visitar a exposição Ivaiporã, Espaço, Imagem, Memória, no Centro Cultural da Melhor Idade, marcando o aniversário de 60 anos do município. Na sexta-feira, dia 19, feriado municipal, e no sábado, dia 20, a exposição fica aberta das 09h00 às 21h00, enquanto no domingo, dia 21, o horário de funcionamento será das 09h00 às 18h00.

Conforme a coordenadora do curso de História do Campus Regional Vale do Ivaí da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e curadora da exposição, professora doutora Neilaine Ramos Rocha de Lima, a mostra é fruto de um projeto de extensão da UEM/CRV, que tem a natureza de envolver a universidade e a comunidade, iniciado em 2019, pensando em ações que valorizassem a história e a memória de Ivaiporã, sendo que uma delas é a exposição de fotografias dos espaços urbanos do município.

“Buscamos observar onde era a antiga rodoviária, primeira capela, colégios existentes em Ivaiporã naquela época, ruas nas décadas de 50 e 60. O foco é o espaço urbano da cidade, como ele foi transformado, apropriado e como Ivaiporã se desenvolveu ao longo desses 60 anos”, explicou a professora, lembrando que, desde o início, o projeto de extensão conta com apoio da Prefeitura de Ivaiporã, por meio do Departamento Municipal de Cultura, mas em 2020 não foi possível realizar a exposição devido à pandemia de Covid-19.

A mostra apresentará aos visitantes, imagens de lugares do final da década de 40 e das décadas de 50, 60 e 70 para que os moradores mais antigos olhem e se identifiquem com a foto. “A pessoa que viveu aqui em Ivaiporã no passado vai olhar aquela imagem e vai lembrar. A fotografia é um gatilho que desperta memória e o que nos inspirou a fazer essa exposição foram fotos captadas nos grupos de memória nas redes sociais, que nos mostraram a importância da fotografia para gerar memória e trazer conhecimento para quem chegou aqui depois”, afirmou.

A professora ressaltou que, sem o apoio da comunidade e da Prefeitura de Ivaiporã, em parceria com a universidade, não haveria condições para a concretização do projeto. “É a prova da importância do curso de história para Ivaiporã e Vale do Ivaí, gerando um produto para a sociedade e a conversa entre a comunidade e a universidade gerando conhecimento”, finalizou Neilaine Rocha.

Padaria pertencente à família de Angélica Huida, nos anos 50, localizada na Avenida Brasil

Padaria pertencente à família de Angélica Huida, nos anos 50, localizada na Avenida Brasil

Professora doutora Neilaine Rocha de Lima é curadora da exposição

Professora doutora Neilaine Rocha de Lima é curadora da exposição