Diocese de Guarapuava se pronuncia com relação à polêmica envolvendo padre de Pitanga

A Diocese de Guarapuava emitiu um comunicado na segunda-feira, dia 18 de outubro, onde o bispo diocesano Dom Amilton Manoel da Silva se pronunciou sobre o afastamento do padre Gilson José Dembinski, da Paróquia Sant’Ana de Pitanga. No comunicado, o bispo afirma que, ao tomar conhecimento da situação envolvendo padre Gilson, determinou que fossem tomadas as devidas providências, de acordo com as leis e normas contidas no Código de Direito Canônico, que rege a igreja latina. “Faz-se saber que o reverendo padre em questão foi afastado temporariamente de suas funções na paróquia de Pitanga, bem como de outros ofícios que ocupava no âmbito eclesiástico, para que sejam averiguados todos os fatos e circunstâncias”, pontua o bispo no comunicado. Com referência à Paróquia Sant’Ana, ele salienta que já foi nomeado um novo pároco e que será feita a posse canônica, em data a ser agendada, em breve. “Rezemos, pois, uns pelos outros, para que possamos nos manter firmes na fé e fraternos no amor de Cristo que nos uniu”, cita o bispo.

Em um outro comunicado da diocese, publicado no dia 12 de outubro, já estava definida a transferência do padre Gilson Dembinski da Paróquia Sant’Ana de Pitanga para Paróquia São Luiz Gonzaga, em Guarapuava, em mudança prevista para ocorrer no mês de dezembro. Em seu lugar viria o padre Leandro Pereira Domingues, que assumiria a condição de pároco da Paróquia Sant’Ana, mas continuaria como administrador paroquial da igreja Santo Antônio em Mato Rico.

O afastamento do padre Gilson Dembrinski pegou a comunidade católica de Pitanga de surpresa. O motivo pelo qual ele foi afastado não foi divulgado oficialmente, mas o principal comentário que havia em grupos de WhatsApp e redes sociais de Pitanga, na segunda-feira, dia 18 de outubro, era que ele teria envolvimento com uma mulher que frequenta a igreja e a situação foi descoberta.