Comissão da Mulher Advogada e Fatec promovem Campanha Absorvendo Afeto

João Felipe Marques, Christiane Singh, Mariana Sismeiro e Paulo Sérgio Ismael divulgam campanha

João Felipe Marques, Christiane Singh, Mariana Sismeiro e Paulo Sérgio Ismael divulgam campanha

A Comissão das Mulheres Advogadas da Subseção de Ivaiporã da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o curso de enfermagem da Fatec de Ivaiporã realizam, até 30 de outubro, a campanha Absorvendo Afeto, que tem por objetivo arrecadar absorventes para adolescentes e mulheres em situação de vulnerabilidade social, como parte da programação da Campanha Outubro Rosa. O ponto de coleta das doações em Ivaiporã é a Fatec, localizada na Avenida Brasil, 45.

Além da arrecadação de absorventes, o projeto que envolverá os 16 municípios da área de abrangência da Subseção da OAB de Ivaiporã pretende realizar, ao longo do mês de outubro, uma campanha relacionada ao autocuidado da mulher e falar sobre temas como a pobreza menstrual.

A presidente da Comissão das Mulheres Advogadas da OAB de Ivaiporã, Christiane Singh, salientou que a parceria com o curso de enfermagem da Fatec se deve ao fato das alunas conhecerem a realidade de mulheres que, muitas vezes, por falta de condição financeira não têm acesso a absorvente íntimo. “Os números da pobreza menstrual no Brasil são assustadores e, pensando nisso, nós unimos a Campanha Outubro Rosa, com foco na prevenção, e aproveitamos esse momento para sensibilizar não só as mulheres, mas a sociedade sobre a necessidade de termos um olhar empático e solidário para essas mulheres em situação de vulnerabilidade, que não têm acesso a um absorvente, contemplando essas duas frentes nas 16 cidades que fazem parte da Subseção de Ivaiporã”, destacou Christiane Singh.

A coordenadora do curso de enfermagem da Fatec, Mariana Sismeiro, e o professor João Felipe Marques explicaram que a campanha faz parte do projeto integrador do 6º período do curso de enfermagem. Ela observou que a pobreza menstrual é determinada pela dificuldade de acesso dessas mulheres ao saneamento básico e ao mínimo necessário para fazer a higiene pessoal. “Um estudo recente mostrou que a pobreza menstrual e a falta do absorvente íntimo influenciam no acesso de 30% das garotas em idade escolar, que deixam de ir à escola por não terem um absorvente. A falta de auxílio prejudica todo o cotidiano delas”, frisou Mariana Sismeiro.

Ação é uma parceria entre a Comissão da Mulher Advogada e curso de enfermagem da Fatec

Ação é uma parceria entre a Comissão da Mulher Advogada e curso de enfermagem da Fatec