Marcos Ventanas assume Departamento de Cultura de Pitanga

Marcos Ventanas quer estimular manifestações culturais em Pitanga

Marcos Ventanas quer estimular manifestações culturais em Pitanga

Desde meados do mês de setembro, o município de Pitanga conta com um novo diretor de cultura, trata-se de Antônio Marcos da Silva, conhecido como Marcos Ventanas. Ele recebeu o convite do prefeito Maicol Barbosa, do vice Carlos Brandalise e do secretário municipal de Educação, Alfredo Schavaren, para assumir o cargo. “Como gosto e estou envolvido nessa área, resolvi assumir esse desafio; estou cheio de vontade e tenho um pouco de experiência nessa área; a expectativa é desenvolver um grande trabalho”, frisa.

Ainda sem completar um mês no cargo, Marcos Ventanas está conhecendo os limites do seu trabalho, mas acredita que será possível desenvolver bons projetos, que sejam simples, mas consigam atingir um grande número de pessoas. Uma das primeiras ações que o novo diretor de Cultura está realizando se refere à proposta de Cultura Religiosa que, nesse primeiro momento, está sendo realizada nas pequenas comunidades do interior, das duas paróquias católicas de Pitanga, mas também pode ser acessada por outras religiões. “A ideia é trabalhar com aulas de música, canto e violão e uma forma de animar mais as celebrações, missas e cultos, para que elas se tornem mais chamativas e culturalmente mais ricas”, salienta o gestor da Cultura.

Marcos Ventanas comenta que o município de Pitanga tem um acervo muito rico em vários setores da cultura, como a literatura, música, dança típicas, entre outros. “Vamos procurar nos inteirar de todos esses expoentes e buscar projetos que possam ser executados pela Cultura, mesmo com a limitação de recursos que temos”, salienta.

Bolsa de Qualificação

O município de Pitanga foi contemplado com 34 bolsas de qualificação ofertadas pelo Governo do Estado, pela Lei Aldir Blanc, em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em que os artistas selecionados receberão uma bolsa no valor de R$ 3 mil. Eles têm que participar de uma qualificação com 3 módulos de 40 horas. O primeiro módulo, que é obrigatório para todos os participantes, ensina os artistas a elaboraram projetos para que possam acessar recursos junto aos órgãos governamentais. Os outros dois módulos são de livre escolha dos artistas, dentro das opções serão oferecidas pelo UEPG. Até a sexta-feira, dia 1 de outubro, 38 artistas de Pitanga se inscreveram na Bolsa de Qualificação, que terá 34 vagas. A classificação levará em conta a idade dos artistas. “Acreditamos que essa bolsa é uma ajuda importante para que os artistas possam superar um pouco esse momento, que está sendo bem complicado para a classe artística”, cita o diretor de Cultura de Pitanga.