Ame

Diz uma história israelita que um jovem foi visitar um sábio conselheiro e contou-lhe sobre as dúvidas que tinha sobre os seus sentimentos pela sua família. O sábio o ouviu, olhou nos olhos dele e disse-lhe apenas uma coisa:

Ame-a.

E então ele se calou.

O rapaz disse:

- Mas ainda tenho dúvidas...

- Ame-a, disse-lhe de novo o sábio.

E, perante o desconsolo do jovem, depois de um breve silêncio, ele disse-lhe o seguinte:

- Filho, amar é uma decisão, não um sentimento.

Amar é dedicação e entrega. Amar é um verbo e o fruto dessa ação é o amor.

O amor é um exercício de jardinagem.

Arranque o que machuca, prepare o terreno, semeie, seja paciente, regue e cuide.

Esteja preparado porque haverá pragas, secas ou excessos de chuvas, mas nem por isso abandone seu jardim.

Ame, ou seja, aceite, valorize, respeite, dê afeto, ternura, admire e compreenda.

Simplesmente ame.

Você sabe por quê?

Porque inteligência, sem amor, te faz perverso.

Justiça, sem amor, te torna implacável.

Diplomacia, sem amor, te torna hipócrita.

Sucesso, sem amor, te faz arrogante.

Riqueza, sem amor, te faz ganancioso.

Docilidade, sem amor, te faz servil.

A pobreza, sem amor, te deixa orgulhoso.

A beleza, sem amor, te faz ridículo.

A autoridade, sem amor, te faz tirano.

O trabalho, sem amor, te torna escravo.

E a vida sem amor, não faz sentido.