Coopera Paraná libera recursos para entidades da região central

Integrantes do Assentamento 8 de Abril conversam com secretário Norberto Ortigara sobre resultados do Coopera Paraná

Integrantes do Assentamento 8 de Abril conversam com secretário Norberto Ortigara sobre resultados do Coopera Paraná

A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) divulgou, na semana passada, a primeira relação das cooperativas e associações de produtores rurais classificadas para o projeto Coopera Paraná. Na área de atuação do Núcleo Regional da Seab de Ivaiporã, foram quatro projetos aprovados, sendo dois de cooperativas e dois de associação de produtores.

A Cocavi de Jardim Alegre teve o projeto aprovado no valor de R$429.431,00 e a Cooperlaf (Cooperativa de Leite da Agricultura Familiar com Interação Social de Arapuã) teve o projeto aprovado no valor de R$542.848,00. Duas associações também tiveram projetos aprovados, a dos Feirantes de Borrazópolis, com o projeto no valor de R$219.074,00 e a dos Pequenos produtores do Salto Fogueira, também de Borrazópolis, com projeto no valor de R$249,6 mil.

Na área de atuação do núcleo de Pitanga foram quatro projetos de cooperativas classificados: da Cooperativa de Reforma Agrária e Erva Mate (Santa Maria do Oeste), no valor de R$ 359,3 mil; da Coopercandi (Cândido de Abreu) no valor de R$ 446,3 mil; da Cooperativa dos Agricultores das Comunidades de 300 Alqueires, Vila Rural, Água dos Matas, 1 mil Alqueires e Alvorada, a Cooperatvama de Nova Tebas, no valor de R$ 570,2 mil; e da Coacepa (Cooperativa Agroindustrial do Centro do Paraná) de Pitanga, no valor de R$ 479,3 mil.

Maria da Conceição Miranda Ferreira, presidenta da Accra (Associação Construindo Caminhos na Reforma Agrária) de Jardim Alegre e vice tesoureira da Cocavi (Cooperativa de Comercialização Camponesa do Vale do Ivaí) destaca que os recursos do Coopera serão importantes para a entidade, pois atualmente existe uma dificuldade para o acesso de recursos públicos e, principalmente, de crédito para esse tipo de projeto.

O objetivo da cooperativa é investir na produção de ovos de galinha caipira orgânicos e, para isso, os recursos serão utilizados na compra das matrizes, na estruturação dos galinheiros e na infraestrutura para o início do beneficiamento. Cerca de 35 famílias devem participar inicialmente do projeto, com possibilidade de ir ampliando aos poucos.

A chefe do núcleo regional da Seab de Ivaiporã, Vitória Maria Montenegro Holzmann, salienta que esses recursos são importantes para as cooperativas e associações, pois se trata de um dinheiro que vem para os municípios, a fundo perdido, e que efetivamente será empregado nos projetos que foram aprovados pela Secretaria de Agricultura. “Acredito que seja uma evolução muito grande para municípios como Arapuã, Jardim Alegre e Borrazópolis, e demonstram o bom trabalho dos agricultores e a parceria dos profissionais de diversas áreas para esse projeto”, frisa.

A Lunaprol, Associação de Produtores Rurais de Lunardelli, teve um projeto não classificado, mas cabia a possibilidade de recursos para a correção do projeto e isso foi realizado e existe a expectativa que a Lunaprol também possa ter seu projeto aprovado.

José Guilherme Stipp Camilo, chefe do núcleo regional da Seab de Pitanga, comenta que a classificação de quatro cooperativas pertencentes ao núcleo de Pitanga demonstra a força do cooperativismo e do associativismo na região central e que todas as contempladas estão em funcionamento e fazem um excelente trabalho para o desenvolvimento da agricultura familiar. “Esse projeto do governador Ratinho Júnior demonstra o desejo de investir na agricultura e, especialmente, na produção familiar, que é aquela que leva alimento para as pessoas”, frisa. Camilo agradeceu às cooperativas que escreveram seus projetos e se dedicaram para a execução do Coopera e que fortalecem o associativismo na região central.

Norberto Ortigara, secretário de Estado da Agricultura, durante sua visita à região central, disse que o Coopera foi pensando como uma forma de injetar um pouco de dinheiro nas pequenas cooperativas e associações de produtores, para que elas possam aplicar na produção, nos processos de transformação ou beneficiamento dos produtos, visando agregar valor a eles, seja com a melhoria do processo produtivo ou na infraestrutura ou espaço físico. O Paraná pretende investir R$ 31 milhões nesse projeto. Ortigara lembra que, no Paraná, são 171 cooperativas de pequeno porte e 500 associações de produtores que podem se organizar e buscar recursos junto ao Coopera. “O Paraná é um espaço que as cooperativas deram certo, elas movimentaram, no ano passado, R$ 115 bilhões e devem chegar em 2025 com um faturamento de R$ 200 bilhões, mas muitas delas começaram pequenas, com o apoio e orientação dos profissionais da Acarpa/Emater e, agora, estamos dando esse apoio também para as associações menores”, cita.