Pitanga adere ao Consórcio de Educação do Paraná

Alfredo Schavaren e Dr. Rodrigo participam de assinatura de adesão ao Ciedepar

Alfredo Schavaren e Dr. Rodrigo participam de assinatura de adesão ao Ciedepar

A Secretaria Municipal de Educação de Pitanga formalizou, recentemente, sua adesão ao Ciedepar (Consórcio Intermunicipal de Educação e Ensino do Paraná), que já conta com mais de 100 municípios consorciados. Segundo o secretário municipal de Educação de Pitanga, Alfredo Schavaren, a principal vantagem para o município é a assessoria técnica ofertada aos integrantes do Ciedepar. Ele frisa que esse apoio acontece tanto aos projetos que são colocados no PAR, como também na prestação de contas, desenvolvimento de projetos e captação de recursos, seja junto ao Governo do Estado como ao MEC (Ministério da Educação). “Eles também têm um trabalho muito bom na assessoria de parcerias público-privadas, que pode nos ajudar muito”, revela o secretário de Educação.

Alfredo Schavaren comenta que, por aderido ao consórcio, o município de Pitanga já garantiu mais um ônibus para o transporte escolar e deve anunciar, nos próximos dias, a conquista de um CMEI (Centro Municipal de Educação Infantil). Ele explica que todas as solicitações de recursos ou obras junto ao MEC precisam ser feitas por meio do PAR.

Schavaren salienta que a principal vantagem da assessoria do consórcio é que, ao apresentar o pedido e com a documentação pronta, isso agiliza o processo, já que não existe a necessidade desse projeto voltar para correções. “Se parar na questão política, basta uma ligação do deputado para o ministro que a situação já é resolvida e não ficamos na dependência de ajustes técnicos ao projeto, que podem demorar a tramitação da proposta”, pontua o secretário de educação.

Nos próximos dias, o prefeito de Pitanga e presidente da Amocentro, Maicol Barbosa, juntamente com o secretário Alfredo Schavaren devem ir a Curitiba, onde receberão assessoria técnica do Ciedepar junto com o Instituto Positivo. “O consórcio detectou que a Amocentro tem um índice baixo de desenvolvimento da educação e que os índices não estão satisfatórios a nível de Paraná; então os técnicos pretendem formular um projeto, iniciando pela Amocentro, e depois irradiando para os demais municípios da região”, frisa o prefeito.