Tatuadora de Ivaiporã participa de eventos nacionais de tatuagem

Eduarda Barker foi uma das juradas do Miss Tattoo Floripa

Eduarda Barker foi uma das juradas do Miss Tattoo Floripa

A tatuadora ivaiporãense Eduarda Barker participou, recentemente, de dois eventos nacionais de tatuagem, nos quais, em um deles foi jurada e em outro ficou em 2º lugar como Miss Tattoo.

Em entrevista concedida ao Paraná Centro, a tatuadora comentou a experiência de ter sido jurada no Miss Tattoo Floripa, no Espaço Merakee, em Florianópolis, Santa Catarina, concurso em que ela foi 3ª colocada no ano passado e ter obtido o vice-campeonato no concurso Maria Bonita Ink Cangaço Tattoo, que ocorreu de forma virtual em Canindé, Sergipe.

Foi a primeira experiência de Eduarda Barker como jurada do concurso, que acontece na Expo Tattoo Floripa, uma das maiores convenções da América Latina em se tratando de tatuagens. Devido à pandemia, a convenção, que já teve sete edições, foi cancelada em 2021 e os jurados só se reuniram presencialmente para entregar a faixa para a nova miss, que é do município de Governador Celso Ramos (SC). O concurso realizado no formato online contou com 124 candidatas. “O Miss Tattoo não é diferente dos outros concursos de miss, as candidatas fizeram um vídeo se apresentando, respondendo a perguntas especificas, ou seja, ela precisa ter o mínimo de desenvoltura para vencer o concurso. É uma responsabilidade muito grande ser jurada e avaliar quesitos como desenvoltura, conjunto da obra das tatuagens e se elas conversam entre si”, explicou a tatuadora.

Com relação a 2ª colocação no Cangaço Tattoo, Eduarda Barker disse que foi realizado virtualmente com o tema do concurso “Mostre a Maria Bonita que há em você”. O intuito era encontrar uma ligação entre as candidatas e o mundo da tatuagem com a cangaceira brasileira Maria Bonita e para ter sucesso; ela contou que focou na ancestralidade e na origem da família dela.

Foram avaliados critérios como simpatia, conjunto/composição de tatuagem, desenvoltura na fala, se as candidatas empoderam outras mulheres pelas redes sociais, se estão envolvidas em causas sociais. “Os concursos são voltados para tirar esse estigma de que a pessoa tatuada não tem nenhum propósito na vida. Apesar de, infelizmente, ainda existir muito preconceito, acredito que consegui mudar a visão de muita gente sobre tatuagens. Os concursos de miss dentro dos eventos de tattoo vieram para celebrar a diversidade feminina que represente a mulher brasileira acima de tudo e que consiga se comunicar com todos os públicos”, destacou.

Com cerca de 68 tatuagens no corpo, Barker disse que é uma luta constante trabalhar como uma arte que expressa a personalidade na própria pele. “A tatuagem é uma forma de expressar o que temos dentro de nós. A tattoo é algo que eterniza momentos”, acrescentou, mencionando que as principais tatuagens dela são desenhadas no estilo lettering, e acredita que essa composição contribuiu para ela chegar a 2ª colocação no concurso.