Prefeitura implanta tratamento de água no distrito de Nova Altamira e Vila Rural

Michael Bento e Fernando Decarle Campos

Michael Bento e Fernando Decarle Campos

A Secretaria Municipal de Saúde de Faxinal, por meio da Vigilância Sanitária, com o apoio da prefeitura, implantou um sistema inovador de tratamento de água no ponto de captação (poço artesiano) do distrito de Nova Altamira (Faxinalzinho). O sistema também foi instalado na Vila Rural na última quinta-feira, 26 de agosto, e contemplará centenas de famílias com água tratada. A qualidade da água do distrito já era uma preocupação antiga da administração, que em 2018 perfurou um poço artesiano para atender a demanda da comunidade.

O prefeito de Faxinal, Ylson Álvaro Cantagallo, o Gallo, exaltou o projeto que visa a atender centenas de famílias com água tratada. “É mais um passo para o bem-estar e saúde da nossa gente, mais uma etapa de saneamento básico, que passa a oferecer água tratada para a população de Nova Altamira e Vila Rural. Durante anos, o distrito foi abastecido por uma mina d’água, não possuía tratamento e a falta de água era constante. Por isso, em 2018 perfuramos um poço artesiano, agora, damos um salto ainda maior, que é o tratamento da água com qualidade e sem custos aos moradores. A próxima localidade que receberá esse tratamento será a Vila Imperatriz”, disse o prefeito.

De acordo com Michael Rodolfo Bento, da VISA municipal, um dos responsáveis pelo projeto, a implantação de tratamento de água em Nova Altamira teve o total apoio do prefeito e também a participação dos secretários: Ylson Álvaro Cantagallo Filho (Gabinete); Fernando Decarle Campos (Saúde) e Vinícius Theodorovicz (Planejamento), que juntos colocaram em prática a realização de um sonho daquela comunidade.

“Foi um trabalho de equipe, uma satisfação enorme fazer parte da mudança na qualidade da água dessa região e na saúde da população. De início serão 700 pessoas beneficiadas”, conclui Bento.

Vale ressaltar que a água de Nova Altamira já é monitorada há anos pela prefeitura, por meio do Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano, do Ministério da Saúde (VIGIAGUA), com o apoio do laboratório de análises da 16ª Regional de Saúde (LAREN).