Volta do público

Volta do público

A Confederação Brasileira de Futebol começa a acenar mais forte para a volta de público aos estádios de futebol. Já passou da hora de isso acontecer. Tem gente em tudo quanto é lugar. Quem viaja muito, como é o meu caso, sabe muito bem que tem lugares fechados e lotados, que oferecem muito mais perigo do que estádios de futebol, cujo espaço para os torcedores é ao ar livre, com todas as condições de se limitar um determinado percentual, como 50% da capacidade total e controlar bem a distância entre um e outro, além do uso de máscaras, álcool em gel, etc. A verdade é que já era para ter público nos estádios. Demorou!

Fora da realidade

Impressionante como as coisas acontecem no futebol brasileiro e seus dirigentes não estão nem aí. Vemos o Cruzeiro falido, totalmente quebrado financeiramente e agora seu maior rival, o Atlético, indo no mesmo caminho. O Galo está afundado em dívidas e segue contratando jogadores com salários astronômicos, totalmente fora da realidade. O Corinthians é outro clube quebrado financeiramente, contratando jogadores com altos salários. O grande problema no futebol do Brasil é a falta de responsabilidade de dirigentes; e um querendo ser melhor que o outro, quando na realidade deveriam se unir, para estabelecer um quadro de limitações a nível de gastos.

Felipão preocupado

O Grêmio não consegue reagir e sair de baixo, na série A do campeonato brasileiro. O técnico Felipão procura mostrar calma e certa paciência, mas, mesmo sendo ele um ídolo da torcida gremista, daqui a pouco as coisas começam a ganhar peso e complica. Um clube como o Grêmio, uma potência do futebol brasileiro, na zona de rebaixamento, é inaceitável. Precisa reagir rápido, do contrário, a gente sabe como as coisas acontecem.

Série A

Na elite nacional, o Atlético, do técnico Cuca, é hoje o grande favorito ao título. Nada definido, mas é o time que está crescendo e na liderança do campeonato. Mas, Palmeiras, que tem um técnico totalmente desequilibrado emocionalmente, e Flamengo, principalmente o clube carioca, estão na luta.

Séries B/C

Apesar do tropeço do Coritiba na rodada anterior (18ª), acredito na tradição, na camisa do time do Alto da Glória, independente do resultado do jogo contra a Ponte Preta (escrevi a coluna antes do jogo). O estranho, mas nem tanto, na série B, é ausência dos grandões no G4, Botafogo, Vasco da Gama e Cruzeiro, com o time mineiro frequentando a zona de rebaixamento ou estando encostado nela. Na série C, ao que tudo indica, os clubes do grupo B, da fase de classificação, são favoritos nos confrontos da segunda fase, num grupo disputadíssimo, onde o G4 tem Ypiranga (RS), Novorizontino (SP), e Criciúma (SC), dividem a liderança, os três com 23 pontos ganhos.