VBP da região cresce 32,7% em apenas um ano

Preço recorde da soja eleva valor do Vbp na região

Preço recorde da soja eleva valor do Vbp na região

O aumento nos preços das principais commodities da agricultura, registrado no ano passado, com direito a recorde nominal de preços na soja, milho e trigo, está refletido no VBP (Valor Bruto de Produção), segundo estudo divulgado pelo Deral (Departamento de Economia Rural), ligado à Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab).

Nos municípios que compõem a região central do Paraná, o crescimento no VBP em 2020, na comparação com 2019, foi de 32,7%. O total dos 32 municípios da região ficou em R$ 7,775 bilhões. No período anterior, o valor total havia sido totalizado em R$ 5,895 bilhões, quase R$ 2 bilhões a mais em apenas um ano.

Esse estudo leva em consideração o valor pago ao produtor de tudo o que é produzido na agropecuária, desde soja, milho e trigo, passando pelo leite, carne, peixes, hortaliças, frutas, madeiras, entre outros.

O estudo divulgado pela Seab para o ano de 2020 é considerado preliminar, já que os municípios podem contestar alguns valores. O VBP é importante, pois é um dos fatores que ajuda a calcular o repasse do ICMS e do Fundo de Participação dos Municípios, que o Estado e o Governo Federal fazem aos municípios.

Imagem da notícia.

Percentualmente, os municípios que mais tiveram crescimento em um ano foram Ariranha do Ivaí (89,5%); Roncador (72,2%), Borrazópolis (72,2%), Arapuã (68,1%) e São João do Ivaí (66,6%). Nominalmente, os municípios com o maior VBP são Pitanga com R$ 637,3 milhões (+22,2%); Roncador - R$ 485,8 milhões (+72,2%); Reserva - R$ 449,5 milhões (+5,5%), Marilândia do Sul - R$ 444,7 milhões (+12,8%) e Manoel Ribas - R$ 388,5 milhões (+30,9%). O município de Ivaiporã apresentou crescimento expressivo de 45,9% e totaliza no VBP de 2020 R$ 263,6 milhões.

O técnico do Deral da Secretaria de Agricultura de Pitanga, Marcelo Serbai, avalia que esse aumento no VBP é consequência direta do aumento dos preços pago na soja, milho e trigo, registrado no ano passado. “Acredito que esse aumento ocorreu em função de uma forte demanda internacional por alimentos e que isso ainda deve permanecer por mais alguns anos, tendo em vista que houve uma pequena queda na produção de alimentos dos Estados Unidos”, frisa. Ele ressalta que esses patamares devem continuar no ano que vem, pelo registro na alta dos preços.

O prefeito de Arapuã, Deodato Matias, avalia como positivo o resultado do VBP em seu município. Ele destaca que esse resultado, além dos preços altos, também é reflexo dos avanços em tecnologia que o agricultor tem realizado nos últimos anos. “No ano passado também tivemos excelentes produções de soja, trigo e milho e acredito que isso foi importante para o VBP”, salienta. O prefeito acredita que esse boom nos valores também foi fundamental para que a região sentisse menos os efeitos da crise causada pela pandemia da Covid-19 do que outras regiões do Brasil.