Casal recuperado da Covid-19 agradece atendimento do Hospital Regional

Casal ivaiporãense destaca apoio da família e da equipe médica do Hospital Regional de Ivaiporã na recuperação da doença

Casal ivaiporãense destaca apoio da família e da equipe médica do Hospital Regional de Ivaiporã na recuperação da doença

A auxiliar de cozinha Fernanda Cristina da Silva Abel e o funileiro Gildo Marcondes Moreno se recuperaram, recentemente, da Covid-19, após ficarem aproximadamente uma semana internados em leitos de enfermaria, em tratamento contra a doença.

Assim como milhares de pessoas que contraíram o coronavírus, Fernanda Abel narrou que os sintomas chegaram de forma quase silenciosa. Ela conta que o marido teve contato com uma pessoa que testou positivo, mas no caso de Gildo, os primeiros sintomas apareceram quase uma semana depois, com um enjoo, seguido por perda do olfato e paladar, enquanto o sintoma apresentado por Fernanda foi uma dor forte na perna, seguida de tosse, dores no peito, além de perda de olfato e paladar.

Após receber o resultado positivo do teste de Covid-19, inicialmente o funileiro foi encaminhado para o Pronto Atendimento Municipal, onde ficou internado por uma noite e, no dia seguinte, foi transferido e internado no Hospital Regional, por conta da baixa saturação e falta de ar. A auxiliar de cozinha também testou positivo e apresentou saturação baixa, sendo necessário o internamento por uma noite e, na sequência, transferida para o Hospital Regional, que é referência no tratamento de pacientes com a Covid-19. “Ficamos muito assustados e com medo do nosso filho de três anos ter pegado a doença. Por outro lado, os médicos e enfermeiros procuravam nos manter calmos, além de nos monitorar o tempo todo, fazer exame de sangue diariamente e exame de glicemia, porque a medicação altera bastante”, contou o casal, mencionando que esse cuidado da equipe do Hospital Regional fez a diferença na rápida recuperação deles.

Os seis dias que se seguiram foram de orações, mensagens de amigos se prontificando a ajudar e carinho de quem estava próximo. “Tivemos sorte que tinha vaga aqui no Regional, que tem uma estrutura montada especialmente para a Covid-19. Tive crises de choro constantes, mas o apoio de quem estava aqui fora foi importantíssimo para nos mantermos firmes psicologicamente e nos recuperarmos”, relatou Fernanda Abel.

Apesar desse conforto prestado pelos profissionais que estão na linha de frente no combate à pandemia, o casal ressaltou que é um momento de ansiedade e apreensão. Com mais de 500 mil mortes notificadas em decorrência do coronavírus no Brasil, é muito difícil manter a calma. “O Covid nos enfraquece rapidamente, o pulmão fica debilitado, mas a força e o cuidado que recebemos da equipe médica foi fundamental. O atendimento deles é muito bom”, disseram Fernanda e Gildo, alertando que a experiência deles possa servir de exemplo para as pessoas se cuidarem mais.