Falece Jeorling Cordeiro Clève, pai do mantenedor da Univale/UCP

Jeorling Cleve

Jeorling Cleve

Faleceu na sexta-feira, 25 de junho, o desembargador aposentado Jeorling Joely Cordeiro Clève, reconhecidamente um dos juristas mais respeitados do Brasil. Ele foi um grande intelectual e autor de livros essenciais para a compreensão da história do Centro do Paraná.

Nascido em Guarapuava/PR, no dia 31 de julho de 1932, filho de Aloísio Guimarães Clève e de Henriqueta G. Cordeiro Clève.

Fez estudos primários em sua terra natal, formou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná, em 1957, foi casado com a professora Dirce Doroti Merlin Clève, que empresta seu nome à biblioteca da Faculdade UCP, coligada da Univale. Teve quatro filhos: Christiane, Luiz Roberto, Luciane e o mantenedor da Univale, Dr. Clémerson Merlin Clève.

Residiu em Pitanga/PR, por vários anos, onde foi advogado, promotor público interino e professor, tendo sido um dos responsáveis pela instalação e funcionamento do ginásio estadual local. Em 1966, ingressou na magistratura estadual. Como juiz substituto, exerceu suas funções jurisdicionais nas Seções Judiciárias de Foz do Iguaçu, União da Vitória e Pato Branco; e, como Juiz de Direito exerceu-as nas comarcas de Piraí do Sul, Ivaiporã e Guarapuava. Foi em seguida promovido para o Tribunal de Alçada e mais tarde para o Tribunal de Justiça. Nesta Corte, como desembargador, atuou por vários anos na área cível, até sua aposentadoria compulsória.

Escritor refinado, um desbravador e referência para todos que desejam conhecer o Paraná, sua gente e seus costumes. Foi, acima de tudo, uma pessoa acolhedora, um grande pai e avô, que fará falta em toda a comunidade paranaense, mas será sempre lembrado como modelo de ética e perfeito exercício profissional.