Minha opinião

Seleção brasileira

Em plena disputa das eliminatórias para a Copa do Mundo, o que não falta são polêmicas envolvendo os jogadores da seleção nacional, o técnico Tite e o alto comando da CBF. Enfiaram política no meio. Resolveram, a exemplo da pandemia do coronavírus, politizar também a Copa América. O treinador da seleção brasileira, amigo de Lula, ex-presidente da República, não esconde sua insatisfação por não ter mais o “companheiro” no comando do país e, certamente minou ainda mais o ambiente, para criar um clima negativo interno. O problema não é a pandemia. O problema é a falta de vergonha na cara desses milionários que estão no mundo do futebol e nem aí com o povo, com o torcedor de futebol.

Pobreza

Nosso futebol está pobre já faz muitos anos. Nossa seleção de futebol não empolga ninguém. Esse time desarrumado por mais um técnico conversador e enganador não vai a lugar algum. Tite sabe é falar, enrolar com as palavras os mais inocentes e acomodar as coisas para ficar de bem com os boleiros endinheirados. Ah, mas a seleção lidera as eliminatórias! E daí? Dois ou três times brasileiros do momento, como Flamengo, Atlético (MG), Grêmio e Palmeiras, se vestissem a camisa da seleção também estariam na liderança. O Brasil só ganha dessas babas da América do Sul. Na hora do “pega pra capar”, contra grandes seleções do mundo, perde.

Bagunça

No Brasil, infelizmente, as grandes mudanças ainda irão demorar muito para acontecer. O brasileiro, de forma geral, é muito parado e aceita tudo. Além disso, é muita gente com interesse próprio, legislando em causa própria. A verdade é que nunca tivemos gente séria e comprometida no comando do futebol brasileiro. O comando da CBF é podre. A seleção brasileira é cheia de “tubarões”, onde os empresários têm trânsito livre e os jogadores, em sua maioria absoluta, são ricos deslumbrados e sem compromisso com a seriedade e o profissionalismo.

Clubes

Quando comento a respeito de tudo de ruim que existe no comando do futebol nacional, com a CBF, e sobre as sacanagens bem evidentes dentro da seleção brasileira, preciso destacar que o mesmo acontece dentro dos clubes, no Brasil. Clubes que devem fortunas e seus dirigentes continuam a endividar as instituições. Jogadores que ganham salários totalmente incompatíveis com a nossa realidade e não estão nem aí com o pobre do torcedor. Só quem vive o dia a dia do futebol sabe o que acontece. Falta muita coisa, mas muito mais do que vocês imaginam, para que nos tornemos um país e um povo sério. E a “resistência” para que isso não ocorra, é grande. Tem muita gente que prefere a patifaria e a bagunça.