“... é bom saber que participamos das grandes obras em Ivaiporã”

O deputado estadual Alexandre Curi percorreu a região central, na semana passada. Dentre os municípios visitados, esteve em Ivaiporã e participou de reuniões individuais com lideranças políticas. Em função das medidas restritivas, o parlamentar optou em não realizar eventos maiores, para não causar aglomerações. Ele aproveitou a passagem por Ivaiporã e concedeu entrevista ao jornal Paraná Centro, onde faz uma avaliação do momento da pandemia no Paraná e no Brasil; fala da atuação do governador Ratinho Júnior, da nova modalidade de concessão do pedágio e das obras que já viabilizou para Ivaiporã, nos últimos 20 anos.

O deputado almoçou na residência do ex-presidente da Câmara de Vereadores, Eder Bueno, e se encontrou com várias lideranças.

Paraná Centro - Como vê a atuação do governo do estado diante da pandemia e da crise econômica gerada por ela?

Alexandre Curi - Estamos enfrentando essa pandemia, mas o Paraná está dando um exemplo de administração. Na semana passada, alguns governadores foram convocados na CPI da Covid e a AGU (Advocacia Geral da União) deixou bem claro que o Paraná não é um estado que está sendo investigado pelas aquisições e compras feitas durante a pandemia. Temos que parabenizar o governador Ratinho Júnior e o secretário de Saúde Beto Preto pela transparência que têm conduzido o Paraná nesse momento. Estamos em uma situação muito difícil, são quase 14 milhões de brasileiros desempregados, mas o Paraná está na contramão disso, pois está gerando empregos e anunciando grandes investimentos. Na semana passada, tive o privilégio de estar com o governador Ratinho Júnior na cidade de Rolândia, anunciando um investimento privado, da empresa JBS, de quase R$ 2,7 bilhões. Além disso, a Assembleia devolveu R$ 100 milhões para a aquisição de vacinas, mas, infelizmente, os estados ainda não puderam fazer essa aquisição por conta própria; de qualquer forma, o Paraná tem R$ 200 milhões em caixa para a aquisição de vacinas e isso está sendo feito com muita transparência e seriedade. Às vezes, os governantes têm que tomar decisões impopulares, mas o Paraná está dando um grande exemplo de enfrentamento à Covid-19.

Paraná Centro - Como avalia a gestão do Governador Ratinho Júnior, ressalvando a questão da crise econômica e pandemia?

Alexandre Curi - O governador Ratinho Júnior faz uma excepcional gestão, mesmo enfrentando uma forte pandemia, a maior dos últimos 100 anos e, da mesma forma, enfrentando a maior crise hídrica que o Paraná passa nos últimos 50 anos. Mesmo com essas dificuldades, o governador mantém os contratos em dia, todos os convênios assinados com prefeitos estão sendo pagos e, ainda, anunciando grandes obras. Há 30 dias, estive com o governador vistoriando o asfalto entre Pitanga e Mato Rico e inaugurando 50% da rodovia que liga Irati a São Mateus do Sul, além disso, devemos ter, nos próximos meses, o anúncio de duplicações, terceiras faixas e, certamente, esse será um governo marcado por grandes obras; um governo municipalista conduzido por quem foi deputado estadual e federal e tem um grande relacionamento com os prefeitos e conhece a realidade do Paraná. Eu faço parte da base de apoio e só tenho que aplaudir a gestão do governador Ratinho Júnior, que é uma pessoa humilde, muito séria e que vai ficar marcado por grandes obras de infraestrutura no Paraná.

Imagem da notícia.

Paraná Centro - E a questão do pedágio, cujos atuais contratos vencem em novembro, qual será a postura do governo do estado?

Alexandre Curi - A Assembleia Legislativa e o governador Ratinho Júnior trabalharam juntos no enfrentamento ao pedágio, cujos contratos encerram agora nesse ano. Ninguém aguenta mais esses preços e, infelizmente, não tivemos grandes investimentos. Vim de Curitiba e, mesmo depois de 21 anos, a rodovia entre Ponta Grossa e Apucarana não será totalmente duplicada. O governo federal estava com um modelo de privatização de concessão com outorga, que não respeitava a menor tarifa. O governador Ratinho Júnior não concordou, a Assembleia do Paraná também não e fizemos audiências públicas por todas as regiões do estado. Reunimo-nos com o G7, com as cooperativas, com a sociedade civil e a população pôde participar; todos foram unânimes em dizer que o novo modelo de pedágio tinha que ser pela menor tarifa. O governador se reuniu com o presidente Bolsonaro e com o ministro Tarcísio (Infraestrutura) e voltou com a notícia que teremos a nova concessão sem outorga e respeitando a menor tarifa. Além disso, teremos R$ 42 bilhões em investimento em duplicação, viadutos, passarelas, terceiras faixas, já nos sete primeiros anos da concessão. Essa é uma vitória da população do Paraná e das cooperativas. Pela primeira vez, a Assembleia do Paraná se posicionou fazendo audiências públicas e os 54 deputados estaduais assinaram esse requerimento e o governador foi muito duro em seu posicionamento junto ao presidente Jair Bolsonaro, mostrando que esse modelo, que estava sendo proposto pelo Governo Federal, não daria certo aqui no Paraná que, há 21 anos, está sofrendo com o pedágio caro e sem obras. No início do ano que vem, teremos um novo modelo de concessão, cuja negociação ocorrerá na bolsa de valores, com total transparência e a principal garantia, e com investimento previsto de R$ 42 bilhões, com o preço baixo do pedágio.

Paraná Centro - Que avaliação faz do presidente Jair Bolsonaro e como vê o Brasil.

Alexandre Curi - Temos que concordar que não existe um bom enfrentamento da pandemia por parte do Governo Federal. Concordo com o discurso que as pessoas têm que trabalhar e que é muito difícil para elas ficarem em casa, mas uma coisa é unânime, no momento que o Governo Federal poderia ter feito a aquisição da vacina, ocorreu um atraso e isso, infelizmente, agravou a questão da pandemia no Brasil. Discordo da briga política que existe entre o atual presidente e o ex-presidente Lula e isso traz um prejuízo muito grande para o Brasil. As eleições serão ainda em 2022 e, nesse momento, a gente espera que a economia volte a crescer. A responsabilidade não é exclusiva do presidente Bolsonaro, estamos enfrentando a maior pandemia dos últimos 100 anos, mas esperávamos um empenho maior. Se essa vacina vai dar certo lá na frente, não sabemos, mas essa é a solução que temos no momento. Há 8 ou 9 meses atrás, o pior país no enfrentamento da pandemia era os Estados Unidos que, hoje, tem índices baixíssimos com grande parte da população vacinada e poderíamos estar na mesma situação; mas discordo dessa discussão política e isso traz um prejuízo. Acredito no presidente Bolsonaro, que foi eleito pela grande maioria da população, e espero que ele possa voltar a fazer o Brasil crescer. Esse é um governo que tem transparência, um governo que não tem nenhuma denúncia de corrupção, mas é um governo que tem que mostrar a que veio, que é enfrentar essa pandemia, superar esse momento difícil e fazer a economia voltar a crescer.

Paraná Centro - Qual o objetivo da sua visita a Ivaiporã e quais outros municípios visitou?

Alexandre Curi - Temos uma história em Ivaiporã e no Vale do Ivaí. Passei por Reserva e Cândido de Abreu e agora, estou revendo amigos em Ivaiporã. Poderia fazer uma agenda mais extensa, mas em função do momento que estamos vivendo, principalmente quando os municípios da Amuvi, Amocentro e Comcam estão decretando medidas restritivas, e para respeitar esse distanciamento, apenas pequenas reuniões e conversas individuais com algumas lideranças. Mas é muito gratificante, vir a Ivaiporã e ver que pudemos participar com muitas obras. Investimos muito em educação, quadras cobertas, hospital regional, prédio para a UEM, asfalto da estrada do Ouro Verde. Estamos à disposição para ajudar a cidade, mas é bom saber que participamos das grandes obras de Ivaiporã nos últimos 15 a 20 anos da história do município.