Faxinal decreta lockdown por 10 dias, a partir do dia 14

Reunião define medidas para conter a contaminação da Covid-19

Reunião define medidas para conter a contaminação da Covid-19

Após uma reunião realizada na tarde da terça-feira, 11 de maio, na sede da Prefeitura de Faxinal, com representantes de entidades da sociedade civil organizada, o município decidiu decretar um lockdown total a partir da sexta-feira, dia 14 de maio, em todo o município. A medida começa a vigorar a partir da 0h00 e vale por 10 dias.

A decisão foi tomada após as entidades Rotary Club de Faxinal, Loja Maçônica XIII de Maio, Associação Comercial e Empresarial de Faxinal (Acef), Sindicato Rural de Faxinal, Paróquia São Sebastião de Faxinal, Paróquia Maria Mãe da Unidade de Faxinal, Rotaract Clube de Faxinal e Interact Clube de Faxinal encaminharem um documento ao Ministério Público da Comarca de Faxinal, solicitando que fossem promovidas medidas necessárias para coibir as aglomerações e salvaguardar a vida e a saúde da população do município. No documento, os representantes das entidades pontuam que a fiscalização tem se mostrado temerosa e ineficiente e que, durante os finais de semana e feriados, ocorre um grande número de festas caseiras e clandestinas, além de estabelecimentos comerciais que não cumprem as medidas determinadas pela saúde.

Em entrevista divulgada pelas redes sociais, o prefeito de Faxinal, Ylson Cantagallo, falou que o município não tem condições de aumentar a fiscalização para coibir as festas e desrespeito às medidas sanitárias. Nesse sentido, o município determinou o fechamento total da cidade, onde apenas serviços de saúde e limpeza pública da cidade irão funcionar pelos próximos dez dias. “As pessoas têm um prazo de 48 horas para irem aos mercados e comprar alimentos; vamos fechar tudo e solicitar um reforço da Polícia Militar, Defesa Civil, Vigilância Sanitária e multar quem desobedecer, vai ter multa e prisão para quem promover festas clandestinas”, disse o prefeito.

Gallo informou que, na semana passada, foram mais de 600 atendimentos na Unidade Básica de Saúde que atende pacientes com Covid. "Acredito que, nesses 10 dias, vamos ter uma redução significativa de casos. Eu perdi um irmão meu, pessoa cheia de vida, de saúde. Minha mãe chora, ela recebeu a notícia da morte dele no dia das mães, e eu não quero que nenhuma mãe chore pela morte do seu filho. Essa medida foi pensada para salvar vidas", ressaltou Gallo.