Leilão de bezerros promovido pelo Sindicato Rural deve movimentar mais de R$ 3 milhões

Luiz Carlos Zampier destaca importância do leilão de bezerros em Pitanga

Luiz Carlos Zampier destaca importância do leilão de bezerros em Pitanga

O Sindicato Rural de Pitanga juntamente com a Gralha Azul Leilões promove no dia 15 de maio, a partir das 14h00, o Leilão de Bezerros de Pitanga, um dos principais leilões de gado do ano, cuja expectativa é a comercialização de mais de mil animais e movimentação de aproximadamente R$ 3 milhões.

O presidente do sindicato rural, Luiz Carlos Zampier, comenta que o circuito de leilão de bezerro na região central nasceu de uma proposta criada e coordenada pela Emater, na década de 80, com o objetivo de integrar a região de Pitanga, que era uma forte produtora de bezerros, com a região noroeste do Paraná, especialmente as cidades de Umuarama e Paranavaí, caracterizadas pela terminação dos animais.

Com o passar do tempo, a região central do Paraná também foi se tornando uma terminadora de animais e, por isso, os últimos leilões têm se tornando muito ecléticos, com compradores de todas as regiões do Estado. Os leilões de bezerro acontecem entre os meses de março e maio e já foram realizados nas cidades de Pinhão, Turvo e Bituruna e ainda estão programados eventos em Guarapuava e em Pitanga, que praticamente encerra o circuito. A expectativa é que sejam ofertados cerca de 1,2 mil animais entre machos e fêmeas, com idade de até 12 meses. “Mas a grande maioria dos bezerros estará na fase de desmama, entre seis e oito meses de idade”, pontua Zampier.

Esse é considerado o principal evento realizado pelo Sindicato Rural de Pitanga e acontecerá no Araucária Centro de Eventos. Em função da pandemia, o leilão será virtual, sem a presença dos compradores. Os animais serão recepcionados no recinto, no dia anterior, irão para a pista e serão filmados. Os compradores poderão acompanhar o leilão pela internet e fazer seus lances via whatspp. “A pandemia acelerou esse processo de modernização dos leilões; antigamente, no formato tradicional, o número de compradores em um leilão ficava em torno de 10 a 12 e, agora, podemos ter mais de 100 compradores de todas as regiões do Paraná”, salienta.

Um diferencial desse leilão é que um veterinário será contratado pelo Sindicato Rural para fazer uma padronização dos lotes e certificar os animais da raça Angus. “Esse será um diferencial, pois os compradores irão adquirir lotes mais uniformes no leilão”, frisa.

Exportações em alta valorizam bezerros

Na cadeia da produção de bovinos, o preço do bezerro disparou em relação aos anos anteriores, sendo que os produtores estão pagando praticamente o dobro do valor comparado ao período pré-pandemia. Isso ocorreu porque a subida do dólar fez com que o preço da carne bovina brasileira se tornasse competitiva no mercado internacional. Esse aumento na procura veio em um momento que ocorria uma redução nos rebanhos e também nas áreas de pastagens. Como o ciclo de criação do bovino é longo, não houve tempo para a ampliação do número de matrizes e, com isso, o valor do bezerro explodiu. “Existe uma falta de animais no Brasil, aliado ao aumento das exportações e isso impactou no preço da reposição”, salienta Zampier.

Para participar e acompanhar o evento, basta acessar o canal do Youtube da leiloeira Gralha Azul, onde também estarão especificados os números de telefone para oferecer os lances.