Centro da Juventude de Pitanga se adapta à pandemia da Covid-19

Zilda Krupek e Genilda Stipp conversam sobre o Centro da Juventude de Pitanga

Zilda Krupek e Genilda Stipp conversam sobre o Centro da Juventude de Pitanga

Um dos projetos mais importantes da Secretaria Municipal de Ação Social de Pitanga, o Centro da Juventude, precisou adaptar suas atividades para continuar atendendo os adolescentes durante a pandemia causada pela Covid-19. Com uma estrutura totalmente voltada a atividades presenciais, sejam elas culturais, esportivas, recreativas ou educacionais, os servidores do local tiveram que buscar alternativas e desenvolver a criatividade para continuar atendendo as crianças e adolescentes e manter o engajamento do público-alvo junto às atividades realizadas pela instituição.

A pedagoga responsável do Centro da Juventude, Zilda Moreira Krupek, ressalta que, além de fazer o repasse trimestral das atividades realizadas junto ao Governo do Estado, a instituição disponibilizou ações que os adolescentes e suas famílias pudessem realizar em casa, de forma remota. Para isso, foram organizados grupos de mensagens em aplicativos como o whatsapp, onde constantemente são sugeridas ações recreativas, culturais, orientações, entre outras atividades que eles podem fazer em casa. “No ano passado, não conseguimos desenvolver as atividades físicas e coletivas, mas a nossa equipe de trabalho se esforçou para conseguir encaminhar atividades online para os adolescentes e suas famílias, que nos davam retorno por meio dos grupos”, ressalta.

Uma das atividades que continuou mesmo com a pandemia é o Cine Pipoca, onde os alunos recebem sugestões de filmes para assistir em casa, que têm um contexto de transformação social e com as orientações repassadas pelos servidores do Centro da Juventude. “Também conseguimos manter o grupo de ginástica das mães, que recebe as orientações das atividades e retoma com um vídeo ou uma foto”, salienta.

No entanto, uma das ações mais importantes realizada pelo Centro da Juventude, foi interrompida, que era a busca ativa dos adolescentes, com a visita nas casas para conhecer a realidade social das pessoas atendidas pelo Centro da Juventude.

Mesmo com o distanciamento, as datas importantes do calendário, não têm passado em branco. No mês de março, foram realizadas ações em homenagem ao Dia da Mulher; e atividades voltadas ao dia 18 de maio, quando é celebrado o Dia de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual, já estão sendo pensadas. “Essa é uma data importante, onde o Centro da Juventude sempre teve uma grande participação”, ressalta.

A secretária municipal de Ação Social, Genilda Stipp, ressalta que o trabalho que vem sendo realizado no Centro da Juventude é bem feito e que a pedagoga responsável pelo trabalho tem atuado muito bem. “As pessoas que trabalham no centro da Juventude precisam ter um olhar diferenciado para esse público e acredito que isso está sendo bem realizado pela atual coordenação do centro”, frisa Genilda Loch.