Prefeitura de Pitanga suspende Lei Seca

Maicol Barbosa – prefeito de Pitanga durante live esclarecendo pontos do decreto municipal

Maicol Barbosa – prefeito de Pitanga durante live esclarecendo pontos do decreto municipal

O prefeito de Pitanga, Maicol Callegari Barbosa, fez uma transmissão ao vivo no início da noite dessa segunda-feira, 29 de março, para informar sobre a publicação do decreto 164, que suspendeu a lei seca que estava em vigor no município desde a quinta-feira, dia 25 de março. A medida foi tomada após reuniões com empresários e prefeitos da região e, com isso, houve a autorização para que a lei fosse suspensa até o dia 1 de abril. Nos dias 2, 3 e 4 de abril a comercialização de bebidas alcoólicas está proibida dentro do município. O decreto também permite que os comércios não essenciais possam funcionar no dia 3 de abril, algo que estava proibido no decreto anterior.

Ele disse que a medida anterior havia sido tomada em função do aumento de internamento de moradores de Pitanga, após o carnaval, quando houve um crescimento de 680% no número de pessoas que precisaram de um leito hospitalar em função da Covid-19 e a aproximação do feriado de Páscoa, fez com que o município tivesse essa preocupação.

No entanto, muitas pessoas saíram de Pitanga e foram a outras cidades para comprar bebidas alcoólicas. “Não posso punir nosso comércio, por uma ação isolada da Prefeitura de Pitanga”, afirmou Maicol em live transmitida pelo facebook da prefeitura.

Nos dias 2 e 4 de abril, o lockdown continuará em vigor no município, sendo que poderão funcionar apenas as farmácias e os postos de gasolina, exclusivamente para o abastecimento de veículos. E no sábado, dia 3, o comércio poderá funcionar das 8h00 às 20h00 com atendimento de 30% da capacidade. Continua a proibição de reuniões familiares com número maior que dez pessoas e o prefeito fez um apelo para que a população ajude na fiscalização, denunciando grandes aglomerações. “Quero lembrar a todos que as UTI´s do Paraná estão com 98% de lotação e que todos os leitos da cidade de Guarapuava estão ocupados”, ressalta.