Açaí para as crianças, só se for puro!

Imagem da notícia.

O consumo de açaí vem ganhando cada vez mais espaço no cardápio dos brasileiros. Típico do Norte do Brasil (principalmente do estado do Pará), o fruto de sabor marcante e ligeiramente amargo é consumido de formas diferentes em cada região do país. No local de origem e em outros estados nortistas e nordestinos, por exemplo, ele aparece principalmente acompanhado de farinha de tapioca, peixes e camarão. Também é possível encontrar o açaí em sucos, vinhos e pirão da fruta.

Já em outras regiões, especialmente no sudeste, a fruta faz sucesso em sua versão “sorvete”, quase congelada e geralmente misturada com xarope de guaraná e mel para adocicá-la. Além disso, outros ingredientes costumam ser adicionados, como granola, frutas e até mesmo leite condensado e leite em pó.

Nesse contexto, mesmo que a cor forte e atrativa da polpa do açaí costume chamar muita atenção das crianças, muitos pais restringem o seu consumo justamente por o associarem a uma bomba calórica e artificial. E eles têm toda razão: em sua versão mais elaborada, a composição pode chegar a até 400 kcal, contra 110 kcal se estiver puro (100ml). Existem ainda várias coberturas que podem fazer mal aos pequenos, como mel (que só deve ser consumido após 1 ano de idade) e amendoim (que pode causar alergia), fora o excesso de açúcar.

Contudo, o açaí em sua forma pura tem diversos benefícios nutricionais! Além de ser altamente energético e saudável, pois é fonte de fibras, proteínas, vitamina E, minerais e gorduras boas como Ômega-6 e Ômega-9 e um alto teor de antocianinas.

E não é só isso: o fruto ainda ajuda no trânsito intestinal e, por ser rico em gorduras boas e antocianinas, confere efeitos protetores para a saúde cardiovascular!

Dessa forma, deixá-lo de incluí-lo no cardápio das crianças pode desperdiçar muitas vantagens do ponto de vista nutricional, assim como tirar delas a oportunidade de conhecer diferentes texturas e sabores tão típicos do Brasil.

Por isso, que tal apresentar o açaí puro (sem xarope ou outros acréscimos) aos pequenos, começando por introduzi-lo às receitas saborosas? Lembre-se apenas de checar a procedência do alimento, que deve estar pasteurizado e bem lacrado!

Imagem da notícia.