Homenagem ao Sr. Alzemiro Francisco Rech

“Não são os postos que honram os homens; são os homens que honram os postos” (Agesilau - rei da cidade-Estado de Esparta - 400-360 a.C.)

Pablo Neruda, famoso escritor chileno, certa vez afirmou: “Escrever é fácil, você começa com maiúscula e termina com um ponto. E no meio coloca as ideias”.

Talvez escrever seja fácil como afirma o escritor, mas escrever sobre a perda de um pioneiro e líder político não é uma das tarefas mais fáceis.

A morte do pioneiro e ex-prefeito de Jardim Alegre, Alzemiro Francisco Rech, em decorrência de Covid-19, no dia 07 de março/2021, além de deixar a comunidade jardim-alegrense comovida e entristecida, nos fez lembrar das muitas conquistas por ele obtidas para nossa população conquanto chefe do executivo municipal.

Podemos dizer que a história de Alzemiro F. Rech confunde-se com a história de nosso município. Prefeito por duas gestões (1973/1976 e 1983/1988) e vice-prefeito na gestão 1997/2000, a luta e dedicação do Sr. Alzemiro como prefeito municipal foi deveras reconhecida não só pelos nossos munícipes, mas por toda população do Vale do Ivai, mormente quando da realização do primeiro Javi´s (Jogos Abertos do Vale do Ivai), realizado na cidade de Jardim Alegre, quando o então prefeito construiu o primeiro ginásio de esportes da região para a prática e o desenvolvimento do esporte amador. Frise-se, somente Jardim Alegre tinha ginásio de esportes na região naquela época.

Quem foi adolescente e jovem naquele tempo, em Jardim Alegre, nunca esquecerá a euforia que antecedia os Javi´s e o orgulho que nosso povo nutria em sediar um evento de tamanha relevância. O ginásio de esportes era o encontro de uma juventude saudável que respirava esporte. Bons tempos. A música de Roberto Carlos expressa minha nostalgia:

“Eu me lembro com saudade

O tempo que passou

O tempo passa tão depressa

Mas em mim deixou

Jovens tardes de domingo

Tantas alegrias

Velhos tempos

Belos dias...”.

Vivíamos na época da inocência, onde, acompanhados de nossos pais e familiares, lotávamos o Ginásio de Esportes Leopoldo Jacomel para assistirmos aos jogos, principalmente o futsal, onde tínhamos uma verdadeira seleção de craques, as meninas do vôlei, e a forte equipe do handebol.

Posso afirmar, sem sombras de dúvidas, que tanto os correligionários quanto os adversários políticos, bem como todas as pessoas que participaram ou participam ativamente da vida política de Jardim Alegre sempre respeitaram e continuarão respeitando o nome de Alzemiro Rech, malgrado às divergências políticas que evidentemente fazem parte do processo democrático.

É inconteste que Alzemiro foi um dos melhores prefeitos que tivemos. Deixou um legado de obras. Na sua administração teve o início da pavimentação asfáltica na cidade, a construção de escolas e a implantação do segundo grau no município, a construção do estádio de futebol que merecidamente leva seu nome, a construção do conjunto habitacional Glorinha T. Rech, sem contar outras inúmeras obras realizadas nas suas administrações, que talvez eu tenha olvidado de mencioná-las, não somente na cidade de Jardim Alegre, mas também no então distrito de Lidianópolis e demais localidades da zona rural do nosso município.

Além de político, Alzemiro foi um empresário que criou muitos empregos com a empresa Madeireira e Serraria Guarani. Quem era menino naquela época com certeza já buscou pó-de-serra na “serraria do Alzemiro”.

Também foi um dos fundadores e dirigentes da Sociedade Rural de Ivaiporã, ocasião em que fora criado o Parque de Exposições que abrigou por tantas vezes a Expovale.

Ao lado de sua esposa e ex-primeira dama, Dona Glorinha, teve fundamental importância na área da assistência social, com a construção de várias creches e imensurável apoio à Apae.

Portanto, não são somente a Dona Glorinha, seus filhos, netos e bisnetos que lamentam e continuarão lamentando sua morte, mas também toda uma comunidade que conviveu com o ilustre pioneiro.

Resolvi escrever sobre o Sr. Alzemiro por inúmeras razões.

Primeiro, pela amizade que mantinha com meu pai, de longos anos, sendo que por muito tempo foram correligionários políticos, nos tempos da extinta Arena, onde subíamos num caminhão para acompanhar os comícios políticos e ouvir os discursos calorosos do Seu Alzemiro. Em 1982, quando passei no vestibular do curso de Direito, na Universidade Estadual de Maringá, lembro que o Sr. Alzemiro foi o primeiro a telefonar para meu pai, num sábado de manhã, comunicando-o sobre minha aprovação, cuja notícia presenciei como um dos momentos mais felizes, não somente da minha vida, como do meu pai.

Segundo, porque além da amizade com seus filhos, sempre admirei muito o que fez como prefeito de Jardim Alegre, conforme relatado alhures, não obstante confessar que também já tivemos discussão política por algumas divergências. Coisas da política, coisas da democracia, coisas da natureza humana.

Por último, penso que Alzemiro Francisco Rech, com seus ideais, honrou seu posto de prefeito.

Enfim, para consolo de todos, também resta e certeza que tanto para o Seu Alzemiro como para nós valeu a pena toda a sua luta pelo seus ideais, pois, como diria Winston Churchill, grande líder e estadista britânico: “Dizer que um homem é idealista significa meramente dizer que é um homem”.