Edevaldo Silva fala da disputa por vaga nas Paralimpíadas de Tóquio

Atleta da região treina para buscar índice nos Jogos Paralímpicos de Tóquio

Atleta da região treina para buscar índice nos Jogos Paralímpicos de Tóquio

O paratleta Edevaldo Pereira da Silva, morador de Dinizópolis, distrito de Cruzmaltina, está esperançoso em conquistar uma vaga para disputar os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Lançamento do Dardo. Em 2016, no Rio de Janeiro, Edevaldo Silva ficou em 7º lugar na classe F44, com a marca de 53,74 metros.

No início deste ano, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) anunciou a suspensão do calendário de competições de atletismo, natação, halterofilismo e tiro esportivo, até junho.

Edevaldo Silva comentou que a paralisação das competições afeta diretamente os ciclos de treinamento, tendo em vista a proximidade da competição mais importante do calendário internacional. “Estou treinando normalmente para que possa estar em forma física perfeita para quando voltarem as competições estar preparado para conquistar as metas estabelecidas nos treinamentos”, disse.

A decisão foi tomada pelo Departamento Técnico e o Comitê de Crise do CPB devido ao aumento do número de casos de Covid-19. O CPB atua como confederação das quatro modalidades, sendo o responsável pela organização e realização de eventos no país. Em março do ano passado, todo o calendário esportivo foi suspenso.

Morador de Cruzmaltina quer representar o Vale do Ivaí no evento mundial

Morador de Cruzmaltina quer representar o Vale do Ivaí no evento mundial

Se por um lado existe a preocupação por ainda não ter alcançado o índice para os Jogos de Tóquio, por outro lado, ressaltou que o mais importante, nesse momento, é a preservação da vida. “Será um pouco complicado o tempo de classificação para os Jogos Paralimpicos de Tóquio 2020, pois as competições voltarão no segundo semestre e muito próximas dos jogos, mas temos que pensar nas vidas que podemos salvar ficando em isolamento e abrindo mão das competições. Sei que para nós atletas é complicado ficar sem competir, mas a vida e a saúde da humanidade vêm em primeiro lugar”, destacou.

Com os Jogos Paralímpicos de Tóquio marcados para 24 de agosto a 5 de setembro, o CPB focará exclusivamente neste primeiro semestre no processo de qualificação e preparação dos atletas.

Pensando nessa preparação, Edevaldo Silva informou que, se a pandemia permitir, participará de um camping de treinamento da seleção brasileira no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, no período de 4 a 13 de abril. “Estou no radar da seleção brasileira de atletismo para ir aos jogos. A chance existe e vou lutar até o fim para representar o Vale do Ivaí, o Paraná e o Brasil pela 2ª vez nessa competição”, finalizou o dardista.