Frentista de posto reage à ameaça e vídeo viraliza nas redes sociais

O vídeo de um funcionário de um posto de combustíveis de Pitanga, ao reagir a uma situação de ameaça, está viralizando nas redes sociais de toda a região.

A situação ocorreu na madrugada da quinta-feira, 25 de fevereiro, por volta da 1h10. No vídeo, o funcionário parece reagir a uma pessoa que entra na loja de conveniência do posto, supostamente armada e entra em luta corporal com o indivíduo e, posteriormente, com a ajuda de um outro funcionário, consegue imobilizá-lo.

O caso foi registrado pela Polícia Militar como ameaça, resistência à prisão, desacato, corrupção ativa, dano, injúria e lesão corporal.

Segundo o relato da PM, a equipe havia se deslocado até a Avenida Getúlio Vargas onde, segundo a solicitação, um homem abasteceu o carro no valor de R$ 30 e não queria pagar. Com a chegada da viatura, ele pagou pelo combustível, mas alegou não ter condições de dirigir e que aguardaria uma pessoa para buscar o carro.

Os policiais foi para o ponto base, perto do posto de combustíveis, quando ouviram gritos e barulhos que vinham do posto, o que caracterizava uma briga. A PM voltou ao local e encontrou o frentista imobilizando o homem que, anteriormente, não queria pagar pelo combustível. O funcionário relatou que após a saída da viatura, o homem passou a ameaçar os demais funcionários e de pegar uma pistola e desferiu socos em um deles. A vítima correu para o interior da loja e o homem foi atrás e, no momento que ele fez menção de sacar uma arma, o funcionário entrou em luta corporal e o imobilizou até a chegada da equipe policial.

Durante a confusão, houve danos a uma prateleira, produtos, duas imagens sacras e equipamentos da loja de conveniência.

Mesmo detido, o homem ainda tentou se desvencilhar da imobilização e se recusou a entrar no camburão. Em determinado momento, ele ainda disse aos policiais que lhes daria uma corrente e um relógio se o soltassem longe daquele local.

Os policiais conseguiram, com o apoio de outras viaturas, levar o homem até a delegacia de Polícia Civil.