Colégio João Paulo II inicia ano letivo com aulas presenciais

Gesiele Vieira mostra totem com álcool gel instalado na entrada do colégio

Gesiele Vieira mostra totem com álcool gel instalado na entrada do colégio

Desde o dia 18 de fevereiro, o Colégio João Paulo II de Pitanga retornou as atividades presenciais com os alunos da educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. O plano de biossegurança apresentado pela escola foi aprovado pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, e pelo Núcleo Regional de Educação. Segundo a diretora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, Gesiele Vieira, desde o ano passado, o colégio vem trabalhando na elaboração do plano de biossegurança e, assim que foi liberado o retorno, a escola fez todas as adaptações necessárias para poder voltar com a maior segurança possível, como o uso de máscara durante todo o tempo, distanciamento de pelo menos 1,5 metro em todas as direções, em todos os espaços da escola, sendo que o chão foi pintado com os locais demarcados e uso de álcool gel e higienização constante das mãos.

Todos os profissionais da escola foram orientados de como funcionaria esse retorno e foi realizado um trabalho específico com cada setor do colégio. Antes da volta efetiva, os alunos receberam vídeos de orientação, mostrando como seria a dinâmica de volta às aulas e os pais foram orientados a treinarem o uso de máscara em casa, especialmente com as crianças, para que elas pudessem se acostumar. Além disso, os alunos são obrigados a fazer a troca da máscara durante o intervalo, para que não fiquem mais do que duas horas seguidas com a mesma.

Outro cuidado acontece na hora do intervalo. As crianças trazem o lanche de casa e fazem a refeição junto com o professor, em sala de aula. Depois elas saem para dez minutos de intervalo ao ar livre, onde são orientadas a não compartilhar os brinquedos e também evitar as brincadeiras que precisam de contato físico. A escola também adotou horários diferentes de entrada e saída dos alunos e do recreio, para evitar as aglomerações.

A grande maioria dos pais optou pelo retorno presencial, mas aqueles que quiseram que os filhos estudassem de casa assistem a mesma aula que o professor aplica em sala de aula, através da transmissão pela internet.

Segundo a diretoria Gesiele Vieira, a adaptação das crianças desde o primeiro dia surpreendeu, principalmente os pequenos, que entenderam o que deveria ser feito e que estão cumprindo as regras e o distanciamento. “As crianças vieram bem orientadas de casa e esse comportamento está sendo muito bom, pois entenderam o que pode e o que não pode ser feito e queremos parabenizar os pais que estão nos ajudando muito nesse processo”, salienta a diretora.

Outra medida adotada pela escola para evitar contaminação é não mandar as tarefas para casa e o material que é utilizado na escola, fica na escola. No primeiro dia de aula, os alunos decidiram o local para sentar e permanecerão nesse local durante todo o ano ou até terminar a pandemia da Covid-19. “Os professores esperavam muito por isso e, apesar de todo o empenho no modelo remoto, é preciso a proximidade entre o aluno e professor para a melhoria do ensino; fez falta a explicação individualizada, junto à carteira do aluno e, aliás, um outro protocolo que é seguido é que apenas o professor pode se aproximar do aluno na sala de aula, já que ele usa além da máscara, a viseira, e higieniza a mão após cada atendimento”, frisa a diretora do Colégio João Paulo II.