Ano letivo começa com aulas online e treinamento dos profissionais de educação

Professores passam por treinamento presencial para retorno das aulas no modelo híbrido

Professores passam por treinamento presencial para retorno das aulas no modelo híbrido

Embora o Governo do Estado tenha adiado para 1º de março o início das aulas no modelo hibrido em escolas públicas estaduais, o ano letivo de 2021 começou na quinta-feira-feira, 18 de fevereiro, mas ainda com atividades remotas por meio do Aula Paraná, na TV Aberta, aplicativo, YouTube, Google Classroom e atividades impressas, assim como aconteceu no ano passado.

Antes da volta ao ensino presencial, os professores passaram por uma capacitação para o uso do Registro de Classe Online, bem como os profissionais da escola que foram capacitados em relação aos protocolos de segurança.

Além disso, nos dias 22 e 23, houve capacitação dos professores para o uso das ferramentas tecnológicas disponíveis, (netboock, google meet, google classrrom, entre outras) para a realização das aulas síncronas e testagem dos equipamentos, bem como conclusão e entrega do Plano de Trabalho Docente iniciado em 12 de fevereiro.

A Seed informou que irá receber os alunos presencialmente entre os dias 24 e 26 de fevereiro para instruí-los sobre o protocolo sanitário e modelo híbrido de ensino.

O acolhimento acontecerá de forma escalonada, por turmas e cada grupo ficará um período na escola. Serão trabalhados os protocolos de biossegurança, o novo formato das aulas híbridas.

Ainda nesta semana, haverá uma reunião com pais e responsáveis para conhecer as adaptações que foram feitas nas escolas. Entre os temas da reunião com os pais estará o horário intercalado de entrada e saída dos alunos; protocolo de aferição de temperatura, frequência de limpeza e desinfecção dos espaços físicos, organização de intervalos e salas de aula, rodízio dos estudantes, apresentação do novo formato das aulas no sistema híbrido, além das demais formas de atendimento aos estudantes e informações a respeito da organização e do revezamento, para então finalmente, no dia 1º de março, o modelo híbrido começar a funcionar.

Imagem da notícia.

Em Ivaiporã, o Paraná Centro conversou com gestores, professores e pedagogos que passaram pelo treinamento pedagógico e sanitário para saber o que eles pensam sobre o retorno das aulas presenciais.

A diretora do Colégio Estadual Bento Mossurunga, Geni de Fátima Hruba, disse que a expectativa para o ano letivo é positiva, apesar da preocupação com o contágio da Covid-19. “Também temos a preocupação com nosso aluno que ficou participando das aulas remotamente em 2020 e sentimos a necessidade desse aluno estar em sala de aula, por isso, tomamos todos os cuidados dentro do protocolo de biossegurança para oferecer o melhor para o aluno nesse momento de retorno. O ensino presencial vem fortalecer os alunos que tiveram dificuldades por não ter acesso à internet e, durante o escalonamento, o aluno que estiver em casa levará atividades preparadas pelos professores”, afirmou a diretora, lembrando que o isolamento também traz consequências negativas para o estudante.

De acordo com o protocolo, o Bento Mossurunga poderá receber presencialmente entre 12 a 15 alunos, conforme a metragem das salas de aula, sendo que haverá escalonamento dos grupos. “O retorno para quem tem a opção de continuar assistindo 100% das aulas online não é obrigatório, mas quem for voltar, o pai precisa vir assinar o termo de retorno”, explicou a gestora.

Por ser um colégio que oferece Educação em Tempo Integral, Geni Hruba, disse que os cuidados durante o intervalo serão redobrados, com escalonamento de alunos, espaço físico dividido, entre outros cuidados.

A pedagoga do Colégio Bento Mossurunga, Aparecida de Fátima Oliveira, comentou que a capacitação trabalhou a logística da volta às aulas presenciais. “Nos inteiramos de todos os protocolos que constam no documento da Secretaria Estadual de Educação para acolher com afetividade professores e alunos. No entanto, vale lembrar que a tecnologia não substitui o contato direto com o aluno”, referiu a pedagoga.

O diretor do Colégio Estadual Barbosa Ferraz, Ivan Mendes, citou que inicialmente voltaram as aulas remotas para o ensino médio e a partir do dia 1º, começam as aulas presenciais para ensino médio e os cursos técnicos integrado e subsequente no modelo híbrido com escalonamento, que deve comportar entre 14 e 15 alunos em sala de aula. “Ano passado foi de aprendizado e esse ano estamos otimistas com essa volta do ensino presencial, onde estamos seguindo todas as normas de segurança, mas também para esse protocolo ter sucesso nós precisamos da colaboração dos alunos”, contou o diretor.

Salas de aula são preparadas de acordo com protocolo de biossegurança

Salas de aula são preparadas de acordo com protocolo de biossegurança

A pedagoga Rosa Venice Crozato considera o retorno presencial importante, uma vez que faz muita diferença para os alunos do ensino médio. No entanto, ela lembrou que por ora, alunos que dependem do transporte escolar não poderão retornar imediatamente, mas garantiu que todos os alunos, seja no presencial escalonado, remoto ou atividade impressa, serão atendidos com a mesma atenção. “Esperamos que dê tudo certo e conforme os alunos forem se readaptando à escola, buscaremos fazer um trabalho de resgate pedagógico que ficou prejudicado no ano passado”, esclareceu.

Protagonistas da educação juntamente com os alunos, os professores também falaram sobre a expectativa para o retorno das aulas no modelo híbrido e a preocupação com a segurança de professores e alunos para que ninguém seja colocado em risco. “Será um ano de desafios novos, mas acredito que vamos superá-los”, afirmou Silvia Garbelini, professora de língua portuguesa.

“Tenho grande esperança em relação à chegada da vacina para que possamos retomar nosso ritmo normal junto aos alunos, pois, temos muita saudade desse contato diário”, observou a professora de biologia, Rosemeire Góes.

“Estamos todos ansiosos justamente porque nos preocupamos com o fato de vários alunos não conseguirem retornar ou não vir para a escola com frequência. Será uma situação nova para todos e imagino que, nesse primeiro momento, cada aluno terá sua particularidade e teremos que saber entender isso”, frisou a professora de física, Talita Freire.

Imagem da notícia.