Polícia Civil investiga ocorrência em que criança de 7 meses foi atingida por foice

Delegado de Ivaiporã deve solicitar novas diligências

Delegado de Ivaiporã deve solicitar novas diligências

A Polícia Civil de Ivaiporã abriu inquérito policial para apurar um crime ocorrido no distrito de Bem Te Vi, município de Arapuã, na tarde do sábado, dia 20 de fevereiro, onde um menino de 7 meses foi ferido com um golpe de foice na cabeça, pelo próprio tio.

Segundo o delegado de Polícia Civil de Ivaiporã, Aldair da Silva Oliveira, o autor do golpe está preso na cadeia de Ivaiporã, já que foi enquadrado no crime de lesão corporal grave, que não cabe fiança. Ele preferiu se pronunciar apenas em juízo, mas contou, informalmente, à autoridade policial que a confusão teria se iniciado com a partilha do resultado de uma pescaria. Segundo o delegado, o autor é tio da criança ferida e saiu com o pai dela, seu cunhado, para pescar. Na volta da pescaria, eles se desentenderam, provavelmente pela partilha do resultado da pescaria, e entraram em luta corporal. Ainda segundo o delegado, nesse momento, o detido se apossou de uma foice e partiu para cima do cunhado. No entanto, uma terceira pessoa havia entrado na casa para retirar a criança, quando foi surpreendida pelo golpe de foice, que atingiu a cabeça do bebê, causando-lhe um corte profundo na testa.

A criança foi socorrida inicialmente por populares e depois pela ambulância do município de Arapuã, que a levou ao Instituto de Saúde Bom Jesus, em Ivaiporã. No entanto, em função da gravidade dos ferimentos, o bebê foi transportado de helicóptero para o Hospital da Providência em Apucarana, onde passou por uma cirurgia e não tem previsão de alta.

O delegado que estava de plantão e atendeu a ocorrência indiciou o tio da criança por lesão corporal grave. No entanto, Aldair Oliveira, titular da delegacia de Ivaiporã, acredita que o crime pode ser tipificado por tentativa de homicídio. “Vamos realizar novas diligências e ouvir outras testemunhas desse caso para darmos andamento ao inquérito policial”, cita o delegado.