Denúncias de fura-fila são registradas em municípios da região

Imagem da notícia.

A Controladoria Geral do Estado (CGE) já recebeu quase 200 denúncias de “fura-filas” da vacina contra a Covid-19, ou seja, pessoas que tenham sido vacinadas fora dos grupos prioritários. Na região que abrange a 22ª Regional de Saúde, há registros desse tipo em quatro municípios: Ivaiporã, Mato Rico (3), Rosário do Ivaí, Santa Maria do Oeste e São João do Ivaí (2). Há denúncias também nos municípios de Iretama (3) - 11ª Regional de Saúde, Turvo (2) - 5ª RS e Mauá da Serra (2) - 16ª RS.

As informações numéricas, protegendo a identidade dos suspeitos, relativas às denúncias recebidas nas 22 Regionais de Saúde do Paraná, passarão a ser divulgadas na página Paraná sem Fura-Fila, no portal www.coronavirus.pr.gov.br, na área destinada à vacinação, em que também será possível registrar denúncias.

O controlador geral do Estado, Raul Siqueira, explicou que o trabalho é pautado na transparência e na parceria contra atos, classificados por ele, como desumanos. “A CGE tem estrutura para recepcionar manifestações de qualquer lugar do Paraná, seja pela internet seja por telefone. Também nos dispomos a ir até os municípios e regionais conferir a recepção das doses e a conformidade com os planos de imunização”, destacou.

As denúncias estão dispostas por regional de saúde e por município, em tabelas, acompanhadas de um “mapa de calor” que indica a região com maior incidência de registros.

O cidadão pode fazer a denúncia pelos telefones 0800 041 1113 e (41) 3883-4014, que atende pelo aplicativo Whatsapp. Pela internet, há um botão específico no portal www.coronavirus.pr.gov.br , mas também pode registrar a manifestação no site da CGE (www.cge.pr.gov.br), na aba Ouvidoria. Se preferir usar e-mail o denunciante deve enviar o material para [email protected]

A chefe da 22ª Regional de Saúde, Eleane Rother, reforça que todas as denúncias serão apuradas e que a população deve ajudar no papel de fiscalizar e fazer cumprir o cronograma definido pelas autoridades de saúde. Com relação às denúncias já realizadas, elas ainda estão sendo apuradas e, até o momento, não tem o resultado dessa investigação.

Comentários