Coamo supera marca de R$ 20 bilhões em receitas

Imagem da notícia.

A Coamo Agroindustrial Cooperativa registou em 2020 receita global de R$ 20,003 bilhões. O valor representa um crescimento de 43,2% em relação ao ano anterior. Esse foi o melhor resultado dos 50 anos da cooperativa, celebrado em novembro do ano passado. A sobra líquida atingiu o montante de R$ 1,109 bilhão, um incremento de 40,0% em relação ao exercício de 2019. Os cooperados recebem a partir desta sexta-feira, dia 12 de fevereiro, em todas as unidades, as partes a que têm direito nas sobras, conforme a sua movimentação em 2020 na cooperativa.

Os números do exercício de 2020 foram aprovados pelos cooperados na 51ª Assembleia Geral Ordinária (AGO), realizada na quinta-feira, dia 11 de fevereiro. Devido à pandemia ocasionada pelo coronavírus, a Assembleia foi no formato digital com a participação de centenas de cooperados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

O foco da Coamo é agregar valor às atividades dos associados, com o compromisso de ser a melhor opção de seu desenvolvimento, a realização profissional dos funcionários, os melhores produtos aos clientes e negócios aos parceiros. “Assim, é com satisfação que podemos afirmar ser este o melhor ano da história da Coamo, seja no recebimento e industrialização dos produtos, ou nos aspectos econômicos e financeiros”, diz José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo.

De acordo com ele, em 2020, a Coamo recebeu a maior safra de todos os tempos. “Os preços elevados motivaram os associados a comercializarem praticamente todo o volume entregue. Registramos, também, uma grande demanda pelos bens de fornecimento”, diz. Ele acrescenta que a grande safra foi reflexo de altas produtividades em todas as regiões da área de ação. “Tivemos um comportamento diferente dos associados, mais atentos e conectados ao mercado, eles analisaram seus custos de produção e aproveitaram o bom momento da comercialização e, consequentemente, 80% da soja colhida em 2020 foi comercializada até o mês de abril.”

Imagem da notícia.

A Coamo recebeu em suas 111 unidades, o montante recorde de 9,276 milhões de toneladas, o que representa 3,6% da produção brasileira de grãos. “O ano foi desafiador e a Coamo demonstrou toda a sua capacidade de logística e utilização da sua estrutura de armazenagem, com capacidade estática de 6,822 milhões de toneladas”, diz Gallassini.

Em 2020 os investimentos totalizaram R$ 414,804 milhões, com destaque para: Terminal Portuário II em Paranaguá, unidade de recebimento de produtos no Distrito de Macaúba em Dourados (MS), laboratório de sementes em Campo Mourão, Data Center Nível 3, verticalização dos armazéns de insumos, ampliação da capacidade de armazenagem das unidades; melhorias no fluxo de recebimento de produtos agrícola e industrial, tombadores, escritórios administrativos e operacionais, áreas para reflorestamento, entre outros.

Um dos motivos do sucesso da Coamo e do seu cooperativismo de resultados está no relacionamento e desenvolvimento com seus associados. A Coamo encerrou o ano com 29.438 associados, que utilizaram a estrutura da cooperativa para atendimento das suas necessidades, desde o plantio à comercialização das safras, além de outros benefícios. Durante o ano a cooperativa devolveu R$ 10,208 milhões de Capital Social para os associados que completaram mais de 65 anos de idade. Além disso, a cooperativa encerrou o ano com 8.095 funcionários efetivos, dos quais 785 foram promovidos internamente e utilizou uma média mensal de 1.410 temporários e terceirizados.

Imagem da notícia.

Comentários