Instituições de ensino superior começam ano letivo

Imagem da notícia.

As instituições de ensino superior de Ivaiporã estão iniciando o ano letivo com bastante cautela e com todos os cuidados para evitar possíveis contaminações. As instituições de educação pública como o IFPR (Instituto Federal do Paraná) e a UEM (Universidade Estadual de Maringá) começam o ano de 2021 ainda com as atividades referentes ao ano letivo de 2020. O professor Luiz Leonardo do IFPR informa que o ano letivo de 2020 só se encerra no dia 29 de maio desse ano e o início do calendário escolar do ano letivo de 2021 tem início no dia 21 de junho.

Os alunos e professores já voltaram ao estudo, mas dentro do chamado Regime Didático Emergencial, que vai usar a metodologia do ensino remoto e não presencial, seguindo a resolução emitida pela reitoria do IFPR, que tem validade até o dia 31 de março. Após essa data, ainda não existe uma definição, mas a tendência é que pelo menos o ano letivo de 2020 seja encerrado dessa forma. Ele explica que o IFPR já tem um calendário para os próximos anos e a tendência é que o começo do ano letivo coincida com o início do ano regular apenas a partir de 2023. O ano letivo de 2021 mesmo, só será encerrado em março de 2022.

Ele explica que, de qualquer forma, o IFPR está se preparando para fornecer aos estudantes e servidores um ambiente seguro para o retorno, seja ele totalmente presencial ou híbrido, mas que, no âmbito do campus de Ivaiporã, aguarda o posicionamento da reitoria para tomar a decisão. “Estamos nos preparando com produtos de limpeza e álcool para que o retorno presencial aconteça e a reitoria vai, a cada campus, dentro de suas características e condições, preparar a volta”, frisa.

UEM

O calendário do ano letivo na Universidade Estadual de Maringá (UEM), campus Ivaiporã, também está atrasado, por conta da Covid-19, e o ano letivo de 2020 só deve terminar no mês de maio desse ano. A diretora do campus da UEM de Ivaiporã, Fernanda Errero Porto Saparolli, ressalta que a data de início do ano letivo de 2021 ainda não foi definida, mas a tendência é que aconteça no começo de agosto. Até lá, o ensino na modalidade remota será realizado, conforme aprovação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEM.

Fernanda Saparolli destaca que ainda não existe uma definição se o ano letivo de 2021 começará de forma remota ou híbrida, tendo em vista que dependerá da situação da pandemia e se os profissionais de educação já tiverem sido vacinados.

A diretora da UEM comentou que os professores têm se esforçado para manter as aulas com qualidade e os alunos têm se dedicado para assistir as aulas e aprender, dentro desse novo modelo. “Mas nada vai substituir o ensino presencial e consideramos que o espaço físico da sala de aula tende a facilitar o aprendizado e a interação social e também reduz os problemas de aprendizagem, quando os professores estão próximos”, cita a diretora da UEM.

Fernanda Saparolli salienta que a principal dificuldade está nas aulas práticas, que não podem ser realizadas no modelo remoto, especialmente do curso de Educação Física. “Consideramos que isso trará um prejuízo significativo para o futuro desses profissionais”, frisa.

FATEC

A Fatec de Ivaiporã deve retomar as atividades a partir do dia 22 de fevereiro e a tendência é com retorno de forma gradual e parcial. O ano letivo de 2020 foi encerrado com o ensino remoto para as atividades letivas teóricas e as atividades práticas serão retomadas esse ano com um calendário de reposição. “Com relação ao ensino no formato remoto, fizemos avaliações constantes com nossos alunos e a maioria se adaptou bem, pois foi muito focado na aprendizagem, gerando uma experiência muito positiva para os acadêmicos, que também demonstraram ser muito flexíveis e adeptos ao uso da tecnologia como ferramenta de ensino, o que nos alegra, pois esta é uma habilidade necessária ao profissional de hoje”, destaca a diretora acadêmica da Fatec, Grasiela Nogueira.

Comentários