Papelarias projetam queda na venda de material escolar

Cecília Crocetta e funcionária da Cissa Papelaria. Por: Antonello Nadal

Cecília Crocetta e funcionária da Cissa Papelaria

Fonte: Antonello Nadal

O ano letivo de 2021 começa neste mês de fevereiro e os lojistas estão de olho na venda de materiais escolares. No entanto, o setor de livrarias e papelarias prevê uma queda na venda desses produtos, apesar da recuperação gradativa da economia.

Cecília Crocetta Schraiber, proprietária da Cissa Papelaria, em Ivaiporã, explicou que as vendas de material escolar estão bem tímidas, pois a maioria dos estudantes tem materiais do ano passado que podem ser reaproveitados.

A empresária apontou que está vendendo itens básicos como cadernos, canetas, lápis, borracha. Em contrapartida, itens como mochilas não estão entre as prioridades dos consumidores, que ainda estão apreensivos, aguardando como ocorrerá o retorno às aulas. “Com as aulas online e muitos estudantes reaproveitando materiais escolares adquiridos no ano passado, as vendas sofreram uma queda significativa”, comentou.

Cecília Schraiber lamentou o cenário de baixa procura por materiais escolares e projetou uma queda de aproximadamente 50% nas vendas neste início de ano, período considerado o mais promissor para o setor de livrarias e papelarias. “Esperava que as vendas fossem melhores, isso representa uma dificuldade para os próximos meses”, ressaltou, citando que, como o setor foi bastante impactado pela pandemia e visando minimizar os possíveis prejuízos com o cenário instável, o investimento na compra de produtos também foi menor em relação aos anos anteriores.

Mesmo em um ano ainda atípico e de incertezas sobre como será o retorno às aulas, a vendedora Alexandra Spadras adquiriu alguns itens de material escolar para os filhos, que estudam na rede particular de ensino. “Conseguimos reaproveitar alguns itens da lista, mas produtos como cadernos e livros didáticos ainda precisam ser adquiridos”, disse.

Peterson Silva, auxiliar administrativo da Studantil. Por: Antonello Nadal

Peterson Silva, auxiliar administrativo da Studantil

Fonte: Antonello Nadal

O auxiliar administrativo da Livraria e Papelaria Studantil, Peterson Rocha da Silva, também citou a diferença na procura pelos materiais escolares, desde o final do ano passado até agora. Ele ressaltou que as vendas devem cair em torno de 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

Peterson destacou que itens como estojos e mochilas são os menos procurados pela comunidade escolar, mas citou que a loja adotou o marketing digital para estimular as compras para quem ainda está buscando produtos antes do início das aulas.

A meta é aquecer as vendas no período que é considerado o de maior procura. “Apesar das dificuldades, não temos do que reclamar, porque está começando a reagir. A gente espera o ano todo por esse momento e, no contexto geral, temos vendido bem, embora menos que no ano passado”, ponderou.