Mesmo com vacina, Lar Santo Antônio mantém regras para evitar contaminação da Covid-19

Todos os 56 internos foram imunizados contra a Covid-19. Por: Fotos/divulgação

Todos os 56 internos foram imunizados contra a Covid-19

Fonte: Fotos/divulgação

O Lar dos Idosos Santo Antônio de Ivaiporã iniciou, na semana passada, a imunização dos internos e funcionários da instituição de longa permanência. Das cerca de 400 doses direcionadas ao município de Ivaiporã, 70 foram para o asilo. Segundo a enfermeira Letícia Menck, a vacinação ocorreu na quarta-feira, dia 20 de janeiro, data que chegaram as doses e foram priorizados os 56 internos e 14 funcionários que atuam como cuidadores e técnicos de enfermagem. Outros funcionários que não têm contato tão direto com os internos não receberam a vacina nessa primeira etapa e devem ser contemplados nas próximas. A segunda dose deve ser aplicada 21 dias a partir da primeira imunização.

A enfermeira comenta que, com o início da pandemia, a instituição adotou uma série de medidas buscando evitar a contaminação dos internos. As mais drásticas foram restringir a visita de familiares e de pessoas que, frequentemente, iam ao asilo e um reforço na higienização, além de uma série de protocolos entre funcionários e internos, como manter o contato apenas nos momentos de banho e medicação e uso de máscaras durante todo o tempo.

Esse reforço na higienização possibilitou que o número de contaminações fosse bem pequeno na instituição. Desde o início da pandemia, apenas três idosos tiveram casos de Covid-19 e foram assintomáticos. Como no lar existe apenas um quarto de isolamento, os idosos que testaram positivo foram encaminhados ao Hospital Regional de Ivaiporã, onde ficaram isolados. “Quando eles retornaram, não tivemos mais nenhum caso nem entre os funcionários e nem entre os internos”, frisa a enfermeira.

Além disso, a cada 15 dias são feitos exames em todos os funcionários e, se algum testar positivo, é feito exame em todos os internos, com periodicidade semanal, até que ocorram dois testes seguidos com todos apresentando resultado negativo. “Com essas medidas, estamos conseguindo passar esse período e, enquanto não houver uma redução nos números da pandemia, não é possível reduzir as medidas”, comenta a enfermeira.

O presidente do Lar dos Idosos Santo Antônio, Mauro Zurlo, informa que as medidas de restrição adotadas foram necessárias para evitar contaminação entre os idosos. “Ainda não sabemos tudo sobre essa doença e, por isso, precisamos tomar todas as medidas necessárias”, ressalta. Durante os últimos dez meses foram permitidas algumas obras na parte interna da instituição, como a construção de um muro, para evitar que alguns internos com esquizofrenia fugissem. No entanto, no lado interno, todos os funcionários e pessoas que tiveram acesso ao Lar usaram máscara o tempo todo. “Pedimos a compreensão das pessoas que gostam de visitar os idosos e, principalmente, os familiares, pois não podemos abrir mãos dos cuidados e, por enquanto, ainda restringir as visitas, pois não conhecemos totalmente a eficiência dessa vacina e como o vírus vai se comportar”, salienta. No entanto, a vacinação trouxe um pouco de alívio. “Antes, a gente dormia com os dois olhos abertos, agora pode fechar pelo menos um”, ressalta.

Comentários