Odair Delli Colli é autor da música Cidadão Pitanguense

Odair Delli Colli em uma de suas apresentações

Odair Delli Colli em uma de suas apresentações

Outro importante representante do cenário musical de Pitanga é Odair Delli Colli, autor da música Cidadão Pitanguense, além de outras composições cantadas por outros artistas, e de jingles para empresas e entidades. Odair é nascido na cidade de Borrazópolis e, desde pequeno, esteve envolvido com música. Seu pai, Antônio Delli Colli, veio da cidade de Presidente Prudente, onde ele e seu irmão Luiz Delli Colli se apresentavam em circos e chegaram a fazer show de abertura para a dupla Tinoco e Tinoco. “Em casa, quando criança, sempre tive contato com instrumentos e vivia num ambiente musical; a música fazia parte do nosso cotidiano”, afirma.

Odair Delli Colli disse que as primeiras apresentações musicais ocorreram na igreja, aos 17 anos, nas atividades da paróquia. “Isso foi me ajudando e dando bagagem com a prática da música e as pessoas iam observando, me dando dicas e o que me ajudou a firmar no mundo musical”, ressalta. Apesar de toda a experiência que tem acumulada, Odair Delli Colli se considera um músico amador, justamente porque não teve a oportunidade de estudar e desenvolver uma base musical. Aos poucos, seu trabalho foi se tornando conhecido e ele passou a ser convidado para cantar em casamentos e outros eventos. Delli Colli ficou em Borrazópolis mais quatro anos, até se mudar para Pitanga, onde desenvolveu mais seu trabalho musical.

Odair Delli Colli

Odair Delli Colli

Ele comenta que, inicialmente, conheceu um pouco do estilo de música que era tocada em Pitanga, diferente do que ele estava acostumado a ouvir em Borrazópolis. “Chegando aqui, durante dois anos fui conhecendo amigos e pessoas que estavam envolvidas com a música, fui me aproximando, começamos a tocar juntos e, com isso, fui me tornando conhecido. Cheguei a tocar com alguns grupos, fiz parte de alguns trios, mas a maior parte do tempo fui cantor solo”, ressalta.

Delli Colli fala sobre a diferença que percebeu entre a forma como a música acontecia nas duas cidades. “Em Borrazópolis, havia muito som eletrônico, que animava, inclusive, os bailes e havia muitas apresentações em festivais, que ocorriam ao ar livre. Aqui em Pitanga havia uma diferença muito grande, com um cenário musical mais rico, especialmente, na questão cultural/musical de Pitanga e isso possibilitou que eu desenvolvesse mais meu trabalho com a música, em função dessa influência da tradição do Rio Grande do Sul”, relata.

Composições

O músico se considera autodidata e, aos poucos, foi percebendo que poderia escrever algumas pequenas composições. “Em Borrazópolis, eu escrevia, apenas por brincadeira; mas o gosto pela escrita me ajudou a melhorar o verso e entender como colocar a música em compasso e organizar as rimas e versos”, frisa. Delli Colli explica que esse processo de composição é realizado em cima de muito treino e sempre procurando escrever sobre algo. No início, ele escrevia sobre muita coisa e essa quantidade de trabalho fez com que ele praticasse, o que o ajudou a desenvolver os tempos musicais, os argumentos e conteúdos. Com isso, ele chegou a gravar com alguns amigos da cidade. Atualmente, ele percebeu que não adianta forçar a escrita e que em alguns momentos especiais a inspiração vem e a música surge.

Odair Delli Colli e esposa Maria Marli Bora Delli Colli

Odair Delli Colli e esposa Maria Marli Bora Delli Colli

Ele lembra que a música Cidadão Pitanguense ocorreu dessa forma. “Eu queria fazer algo para homenagear o meu município; sou um cidadão e resolvi prestar essa homenagem no aniversário de Pitanga. O processo de criação passou pela escrita de pequenos versos e depois fui organizando a música conforme o texto foi surgindo”, disse. Segundo Delli Colli, seu processo de composição começa unindo a música com a letra. “Eu pego um violão e começo a dar um ritmo e uma melodia até encaixar no assunto que quero escrever”, relata.

Apesar de a música ter sido usada em uma campanha política, Delli Colli quer que sua música seja mais reconhecida como uma homenagem a morador de Pitanga e, principalmente, aos pioneiros e desbravadores que fizeram a história do município. “Quero mantê-la como um tema geral do município e não associada a um grupo político, que seja esse ou aquele. Tanto que estou preparando um material novo e vou relançar a música com novas imagens de Pitanga e fazer algo melhor”, finalizou Odair Delli Colli.

Comentários