Polícia Civil de Ivaiporã faz balanço das ações de 2020

Aldair de Oliveira – delegado da Polícia Civil de Ivaiporã

Aldair de Oliveira – delegado da Polícia Civil de Ivaiporã

A Polícia Civil de Ivaiporã, atendendo a um pedido do jornal Paraná Centro, fez um balanço das ações realizadas no ano de 2020. O delegado Aldair da Silva Oliveira comentou que, apesar de o ano passado ter sido atípico em função da pandemia da Covid-19, não houve grandes alterações na atividade policial. Tanto que o número de procedimentos instalados ficou em torno de 1 mil e o de inquéritos foi de 501, praticamente a mesma quantidade de 2019. Para o delegado, o que mais chamou a atenção foram os números relativos a casos de estelionato, que tiveram quatro vezes mais registros que nos anos anteriores, isso ocasionado, principalmente, por golpes relacionados ao pagamento do auxílio emergencial.

Também houve um aumento no número de pedidos de medidas protetivas de urgência, que em 2020 passaram de 191, contra 172 do ano anterior. Já o número procedimentos envolvendo menores teve uma pequena redução no ano passado, com 84 procedimentos abertos.

O delegado também destaca o número de inquéritos já solucionados e encaminhados ao poder judiciário, que representa 75% dos inquéritos abertos. Houve também uma grande quantidade de drogas incineradas durante o ano pela Polícia Civil, sendo aproximadamente 50 quilos de entorpecentes, na grande maioria maconha, mas também foram queimados 3 quilos de cocaína, 2,5 quilos de crack e cerca de 400 comprimidos de ecstase.

Com relação ao esclarecimento dos crimes mais graves, o delegado de Ivaiporã informou que o ano foi muito produtivo e, das quatro ocorrências de homicídios, todas foram esclarecidas e com os autores identificados, sendo que três deles tiveram os acusados presos. Outros crimes chamaram a atenção da sociedade durante o ano, como um roubo de celulares que ocorreu no começo do ano, em que a família foi feita refém e um grande número de aparelhos foi levado. “Conseguimos apurar a autoria do roubo e os elementos estão com mandado de prisão em aberto”, informa. Outra ocorrência que chamou a atenção foi o esclarecimento de um roubo à família Croceta, no distrito de Alto Lajeado, em que os autores foram identificados como moradores das cidades de Apucarana e Cambira.

Aldair ressalta que o marco positivo foi a emissão de um decreto do governador Ratinho Júnior, que passou a administração da cadeia pública de Ivaiporã, de forma plena para o Depen (Departamento Penitenciário do Paraná). “Acredito que isso será efetivado no ano de 2021, quando a Polícia Civil deve mudar para um novo espaço e, com isso, o departamento assume toda essa estrutura”, ressalta.

Segundo o delegado, a nova gestão municipal de Ivaiporã sinalizou a cessão de um espaço para que a delegacia seja transferida, que deverá passar por alguns ajustes, especialmente de acessibilidade, e a expectativa é que isso possa ocorrer em torno de 3 meses.

Comentários