Agricultor testa plantio de cebola em Ivaiporã

José Carlos Cavilha mostra produtos colhidos em Ivaiporã

José Carlos Cavilha mostra produtos colhidos em Ivaiporã

O produtor rural José Carlos Cavilha, morador no distrito de Alto Porã, no final de 2020, fez a colheita de uma área experimental de cebola. Ele cultivou em cerca de 2,5 mil m², com mudas produzidas a partir de sementes doadas pelo namorado de sua filha. A ideia de plantar cebola surgiu após uma visita a Irati, uma das principais regiões produtoras do Paraná, onde ele conheceu o cultivo e aprendeu as principais técnicas. Apesar de ser um legume que faz parte do dia a dia dos brasileiros, na região de Ivaiporã não há plantio comercial da cebola. O Paraná é o quinto produtor nacional e Irati e a região metropolitana de Curitiba são as principais regiões produtoras. Em Irati, são colhidos quase 16 mil toneladas de cebola por ano e, em toda a área do Núcleo Regional da Agricultura de Irati, são 27 mil toneladas.

Cavilha tem uma propriedade de 16 alqueires em que planta soja, milho e trigo, além de uma pequena produção de leite e porcos. Ele reservou uma área para o plantio das mudas, feito no começo do mês de julho. O ciclo completo da cebola dura em torno de 180 dias e pode ser uma alternativa para pequenos produtores, como cultivo de inverno.

Sobre os tratos culturais, o produtor disse que usou pouco defensivo e as ervas daninhas que apareceram foram retiradas na enxada. O ponto de colheita, segundo ele, é quando a folha da cebola dobra, já que a base fica seca. “Esse é o momento de tirar a cebola da terra”. Na área de 2,5 mil m², Cavilha colheu em torno de 5 toneladas e, até o final do ano, tinha comercializado cerca de 2 mil quilos, vendidos para vizinhos e pessoas que foram até a propriedade retirar o produto. Ele recebeu cerca de R$ 2 por quilo. “Acho que o rendimento foi bom, principalmente, pelo pequeno investimento, mas é uma cultura que dá muito trabalho”, frisa.

Cavilha confessa que a curiosidade foi o fator de motivação para o plantio do legume, principalmente, porque nunca viu esse tipo de produto sendo cultivado na região de Ivaiporã. “Não sei se plantarei nos próximos anos, mas é sim uma boa alternativa para quem tem pouca terra, no entanto, é preciso ter uma fonte de comercialização melhor”, ressalta o produtor.

Produtor estima que colheu cerca de 5 toneladas de cebola

Produtor estima que colheu cerca de 5 toneladas de cebola