Casos de Covid aumentam 24% em um mês na região

Hospitais voltam a ter ocupação alta no Paraná. Por: Aen

Hospitais voltam a ter ocupação alta no Paraná

Fonte: Aen

O mês de novembro registrou um aumento considerável nos casos de Covid-19 em todo o Paraná. Segundo os boletins diários de acompanhamento da doença, que são divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa-PR), o Paraná tinha, no dia 31 de outubro, 211.245 casos, somando desde o início da pandemia, no começo do mês de março. Até aquele dia, foram registrados 5.165 óbitos e, nos 16 municípios da área de atuação da 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã, o número casos era de 1.610.

No dia 30 de novembro, o número de confirmações saltou para 277.424 ou 31,32%; 6.099 pessoas morreram, o que representa um aumento de 18,08% e, na área da regional de Ivaiporã, o número de casos confirmados chegou a 2.002, um crescimento na ordem de 24,34%.

Das cidades que compõem a Regional de Saúde de Ivaiporã, o maior aumento ocorreu em Cândido de Abreu, que passou de 51 para 102 casos em um mês. Os dados podem ser um pouco diferentes dos divulgados pelos municípios, já que o Governo do Estado não contabiliza o resultado de testes rápidos ou PCR que são realizados por laboratórios particulares.

Esse aumento nos casos tem colocado as autoridades estaduais e municipais em alerta e a preocupação com a chegada do verão é o incomodo causado com o uso de máscara de proteção.

Marcele Mareze, responsável pelo setor de epidemiologia da 22ª Regional de Saúde, ressalta que existe uma série de fatores que estão atrelados a esse aumento nos casos. A redução sentida nos meses anteriores deu a falsa sensação que a pandemia estava no final e levou as pessoas a relaxarem nas estratégias de prevenção à Covid-19, como o uso correto de máscara, higienização das mãos e o distanciamento social, principalmente, entre os mais jovens.

Ela explica que a Regional de Saúde vem fazendo o acompanhamento diário da situação de cada município, por meio de boletins internos compartilhados com os gestores, em que constam número de casos diários, média móvel de 14 dias, número de óbitos, sintomas mais frequentes e matriz do risco semanal, que pode nortear as decisões administrativas e as orientações, seguindo os parâmetros do Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde, mas cada município tem sua autonomia. “A Regional de Saúde nunca parou de orientar e, incansavelmente, solicita medidas e estratégias de controle que são de responsabilidade administrativa dos municípios”, pontua Marcele Mareze.

Ela finaliza que a avaliação da situação atual é de um cenário semelhante ao número de casos que ocorreram no mês de junho, quando houve o pico de casos na região.

O prefeito de Ivaiporã, Miguel Amaral, declarou que, nesse momento, o município não tem nenhuma intenção de realizar ações mais restritivas, como redução de horário de funcionamento ou fechamento de estabelecimentos ou atividades comerciais, mas que o crescimento de casos na região é preocupante e, para que não seja necessário adotar essas medidas, é preciso que as pessoas voltem a adotar as medidas de prevenção a Covid-19, como o uso de máscaras, distanciamento social e higienização das mãos.

Comentários