Governo debate orçamento e controle da pandemia

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o chefe da Casa Civil, Guto Silva, discutiram nesta terça-feira, 24 de novembro, com os deputados estaduais, no Palácio Iguaçu, o Orçamento de 2021, a continuidade das políticas de enfrentamento da Covid-19 e projetos prioritários para a modernização do Estado. O encontro com a bancada aliada também serviu para perfilar as necessidades do Paraná diante das dificuldades impostas pela pandemia nas contas públicas. “Passamos as eleições municipais, que envolvem atuação intensa dos deputados, e voltamos para a pauta estadual. Esse encontro serviu para o Governo do Estado fazer um balanço das ações de 2020, prestar contas, e também para planejar o Orçamento de 2021, as nossas prioridades diante das dificuldades que vamos enfrentar”, disse Ratinho Junior.

O governador apresentou um balanço parcial do Banco de Projetos, que ajudou a acelerar as licitações rodoviárias a partir dos recursos captados no financiamento de R$ 1,6 bilhão, como as terceiras faixas na PR-323 e na PR-280. Ele também saudou a parceria institucional com a Assembleia Legislativa para aprovar as mensagens destinadas ao combate à pandemia e o repasse financeiro para a estruturação de leitos nas quatro macrorregionais de Saúde. “É um momento excepcional da história do Paraná e essa relação institucional com os deputados se tornou muito mais intensa porque precisamos agir com rapidez. Apesar da crise, não deixamos de honrar nossos compromissos, de garantir recursos para investimentos e de modernizar a gestão, projetando a prospecção de mais empregos”, afirmou Ratinho Junior. “Estamos assistindo um momento de retomada, com evolução nas contratações e nos números industriais e do comércio. Apesar de tudo, estamos bem otimistas com o Paraná”.

O governador disse que 2021 será um ano importante para o Estado por conta das audiências públicas e dos novos contratos de concessão do Anel de Integração; da concessão de quatro aeroportos para a iniciativa privada (Londrina, Foz do Iguaçu, Curitiba e São José dos Pinhais); e do início de obras estaduais com potencial de transformar o Estado, como a revitalização da Orla de Matinhos e a modernização dos acessos e das estruturas do Porto de Paranaguá. Ele também citou a fase aguda de obras dos acordos de leniência (Trevo Cataratas e duplicações na BR-277); a consolidação do aporte de R$ 1,4 bilhão da Itaipu Binacional para a continuidade da Ponte da Integração e da nova perimetral de Foz do Iguaçu, duplicação da Avenida das Cataratas, conclusão da Estrada Boiadeira (Porto Camargo a Umuarama), novo contorno de Guaíra e projetos de saneamento ambiental; e investimentos robustos da Copel e da Sanepar em projetos novos ou em andamento, como o Paraná Trifásico e os reservatórios de água.

Comentários